Na tarde desta quinta-feira (15), foi aberta a Semana Rio das Velhas no município de Curvelo(MG). O evento, realizado pelo Comitê de Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas (CBH Rio das Velhas) faz uma homenagem a um dos principais rios do Estado e acontece até o próximo domingo (17) nos municípios de Curvelo e Morro de Garça.

A escolha dos municípios de Curvelo e Morro da Garça, que integram a Região do Médio Baixo Rio das Velhas, representa um esforço do Comitê em descentralizar a gestão dos recursos hídricos e estar mais próximo dos subcomitês e das comunidades. De acordo com o presidente do CBH Rio das Velhas, Marcus Vinicius Polignano, a Semana Rio das Velhas é um momento de fortalecer o espírito coletivo, debatendo temas que estão na agenda de cada subcomitê. “É fundamental integrarmos toda a Bacia fazendo com que cada agente entenda seu local de atuação e sua importância histórica para juntos construirmos um futuro melhor” ressaltou o presidente.

A Semana conta com a programação de três importantes eventos: o VI Encontro de Subcomitês que acontecerá nos dias 14 e 15 de julho, em Curvelo; o Seminário Saneamento e Saúde que acontecerá no dia 16 de julho, em Morro da Garça e o FestiVelhas entre os dias 15 e 17 de julho, também em Morro da Garça.

Encontro de Subcomitês discute os valores regionais da Bacia

Com a participação de representantes de todo o território que compõe a de Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas, foi iniciado o VI Encontro de Subcomitês. O evento, que segue até sexta-feira (15), integra a programação oficial da Semana do Rio das Velhas e objetiva a descentralização da gestão dos recursos hídricos e aprimorar a gestão do Comitê em prol do fortalecimento dos Subcomitês.

Durante o encontro, o presidente do CBH Rio das Velhas, Marcus Vinicius Polignano, apresentou a evolução da política e as intervenções realizadas pela entidade desde a sua fundação em 1998, e sensibilizou os coordenadores em relação a sua autonomia e capacidade. “Um comitê de bacia é, sobretudo, uma instância de sociedade para dialogar, conhecer e partilhar as decisões em relação à gestão ambiental. Precisamos saber compartilhar e integrar com os outros setores ligados aos interesses da Bacia. Quanto mais pudermos fazer compartilhamento de informação e atuação, mais consolidamos a nossa presença em um território. Portanto, autonomia, gestão compartilhada e parcerias são palavras fundamentais neste momento”, enfatizou.

Durante o Encontro, foi realizada a Roda de Conversa entre os representantes e coordenadores de 18 subcomitês da Bacia do Rio das Velhas. O objetivo é dialogar, apresentar problemas e ações sobre arranjo institucional, os conflitos, as ações de mobilização social, fortalecimento de políticas públicas, segurança hídrica e esgotamento sanitário em toda a extensão territorial da Bacia.

O coordenador geral do Subcomitê Nascentes, Ronald Carvalho Guerra, avalia que o Encontro fortalece o sistema de participação entre as regiões, com a troca de experiências e, principalmente, trata-se de uma oportunidade para conhecer como os setores sociais estão tratando os problemas e planejando ações de revitalização da qualidade das águas. “O caso do Comitê do Rio das Velhas é uma experiência única, pois nenhum outro comitê trabalha a gestão local como o Velhas trabalha. Somos uma rede pela qualidade das águas”, afirma.

Jacqueson Azevedo, coordenador do Subcomitê Guaicui, região onde o Rio das Velhas deságua no Rio São Francisco, afirma que a integração das experiências é o ponto fundamental do Encontro. “Certamente, uma dificuldade que temos na Região do Baixo Rio das Velhas pode ser a mesma dificuldade que o Médio e o Alto encontram. Por isso, o envolvimento com todos os atores é uma¬ oportunidade de discutir soluções e novas formas de gestão pela qualidade e quantidade das águas em nosso Rio”, ressaltou.

Rio das Velhas – A Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas está localizada na Região Central de Minas Gerais, ocupa uma área de 29.173 km² e é subdividida em Alto, Médio e Baixo. Com uma extensão de 801 km, o Rio das Velhas, nasce no município de Ouro Preto e deságua no Rio São Francisco, em Barra do Guaicuí, distrito de Várzea da Palma. A Bacia abrange 51 municípios, com uma população estimada em 4,5 milhões de habitantes.

Subcomitês – A região da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas possui contextos ambientais e naturais diversos, portanto, com objetivo de proporcionar o planejamento territorial integrado, o CBH Rio das Velhas definiu 23 Unidades Territoriais Estratégicas (UTEs), que são grupos de bacias ou sub-bacias hidrográficas contíguas. Para a gestão dessas Unidades Territoriais, em suas áreas de competência, foram instituídos os Subcomitês de Bacia Hidrográfica (SCBH), que configuram-se como instâncias colegiadas descentralizadas. A definição leva em conta prerrogativas geográficas da Lei das Águas, as características de cada área, bem como sua extensão; número de afluentes diretos; quantidade de municípios; distribuição da população e existência de mais de uma prefeitura na sua composição. Atualmente, são 18 Subcomitês estabelecidos e compostos por representantes do poder público, usuários de água e sociedade civil. Os subcomitês têm o importante papel de articuladores o que significa um grande avanço na representatividade e articulação da sociedade organizada na descentralização da gestão das águas.

Veja as fotos do VI Encontro de Subcomitês:

Confira a programação completa da Semana do Rio das Velhas.


Mais informações e fotos em alta resolução:

Assessoria de Comunicação CBH Rio das Velhas
comunicacao@cbhvelhas.org.br