Para promover a construção de sociedades sustentáveis há necessidade da incorporação de mecanismos que favoreçam a troca de experiências e o acesso à informação, integrando os atores das microbacias. Esses aspectos e a responsabilidade com a preservação do meio ambiente estão sendo coordenados e realizados na Bacia do Jequitibá e envolverão os cinco municípios da região. O projeto é uma parceria entre o Subcomitê Jequitibá, a Ambev e a WWF-Brasil.

“A proposta é que o projeto se realize em três fases: diagnóstico socioambiental da sub-bacia, implementação das ações prioritárias e execução da estratégia de sustentabilidade do projeto, visando a continuidade das transformações e dos resultados. O marco inicial do lançamento do Projeto Bacias aconteceu com o plantio de 300 mudas no Parque da Cascata, pertencente à Bacia do Ribeirão Jequitibá”, afirmou o coordenador do Subcomitê Jequitibá, Lairson Couto.

O Projeto Bacias foi lançado em maio e desde esse mês acontece na região. “Em Sete Lagoas, acontece a terceira edição do Projeto, uma iniciativa que contribui para a recuperação e preservação de mananciais de bacias hidrográficas do país”, disse um integrante da equipe de mobilização das empresas envolvidas.

Segundo informações, as propostas do projeto já foram adotadas nos últimos anos nas Bacias do Corumbá-Paranoá, no Distrito Federal e dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí, em São Paulo e dão sinais de evolução. “A partir de agora, o foco do trabalho de recuperação será a Bacia do Ribeirão Jequitibá”, disse o coordenador do Subcomitê Jequitibá, Lairson Couto.

Conheça o mapa da região

SCBH_Ribeirão Jequitibá_CBH Rio das Velhas_baixa

Implementação das propostas

O Projeto Bacias será implementado em três fases. Na primeira, o WWF-Brasil coordenará, com vários parceiros, um diagnóstico completo da Bacia do Ribeirão do Jequitibá, com levantamento de dados socioambientais, pesquisa de opinião com a população para identificar a sua percepção em relação à água e ao saneamento básico, análise da disponibilidade hídrica natural em toda a bacia, diagnóstico do saneamento básico da região e levantamento do percentual de área degradada e identificação dos pontos críticos da bacia. A segunda fase contempla a implementação das ações planejadas em campo e a terceira será a de execução da estratégia de sustentabilidade do projeto, com vistas a assegurar a continuidade das transformações atingidas.

“O projeto facilitará a formação de uma rede colaborativa envolvendo diversas instituições e a realização de atividades. Somente com a cooperação de todos os envolvidos, governo, empresas e população alcançaremos resultados positivos, bem como a garantia da segurança hídrica local. É um privilégio para nosso Subcomitê e região receber esse projeto”, afirma Couto.

Projeto bacias

O Projeto Bacias integra o Movimento CYAN e foi lançado pela Ambev em 2010 como um amplo conjunto de iniciativas para mobilizar e conscientizar a sociedade para o uso racional da água. Na Bacia do Jequitibá, o projeto será realizado em dois ou três anos e serão investidos R$ 2 milhões.

A proposta é auxiliar na conservação e na recuperação de microbacias onde a Ambev mantém suas 34 unidades produtivas de bebidas em território nacional. O objetivo é facilitar o entendimento acerca dos objetivos do Projeto, que foi dividido em três grandes etapas, sendo elas: diagnóstico; implementação de ações / intervenções; encerramento /sustentabilidade.

Capacitação de parceiros em Redes e Articulação Institucional

Um dos principais aspectos da proposta do projeto é a disseminação das informações. “Dois aspectos são essenciais no desenvolvimento do programa: a capacitação dos atores locais e o estímulo ao conhecimento de todos os dados que envolvem a bacia. Com o diagnóstico as informações poderão ser acessadas por todos. Com isso, poderão surgir trabalhos e propostas de melhoramentos para nossa bacia”, disse Lairson ao argumentar que por meio da capacitação será construída e compartilhada aos atores locais e parceiros uma visão comum sobre o território.

Atualmente o projeto está na fase de mapeamento dos atores da bacia, uma iniciativa de definir os parceiros e formalizar essas parcerias. Segundo coordenadores do projeto, essa sinergia é estratégica. “Estamos estruturando os convênios para avançar nas temáticas propostas para realização concreta das ações”.

A reunião

collagem
Crédito: CBH Rio das Velhas – TantoExpresso/Michelle Parron

O encontro do Subcomitê Jequitibá aconteceu no dia 21 de julho, em Sete Lagoas. Entre outros assuntos, a preocupação com a Bacia do Paiol foi destaque e revelou a apreensão do Subcomitê com a atual situação do local. “Precisamos pensar ações urgentes para a área e regulamentar as atividades no local”, disseram integrantes do Subcomitê.

O Encontro de Subcomitês também foi pauta. “O objetivo foi trocar experiências e com o encontro pudemos observar como age o Comitê e o que está sendo feito e como podemos fazer mais. Pudemos perceber que nosso Subcomitê é muito respeitado por desenvolver ações pró-rio das Velhas”, disse a conselheira do Subcomitê, Amanda Lopes.

Ficou agendado que em outubro acontecerá o Seminário sobre Água Subterrânea. As datas ainda serão definidas.

Veja as fotos da reunião


Mais informações e fotos em alta resolução:

Assessoria de Comunicação CBH Rio das Velhas
comunicacao@cbhvelhas.org.br