O Comitê de Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas (CBH Rio das Velhas), em parceria com a Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Minas Gerais (Fetaemg) e a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater/MG), realizou o Seminário “Água, Agricultura Familiar, Rio das Velhas – Crise e Gestão”, nos dias 13 e 14 de outubro, em Belo Horizonte. O objetivo foi de iniciar uma aproximação dos Sindicatos de Trabalhadores Rurais e dos Subcomitês, a partir do debate da agenda da agricultura apresentada no Plano Diretor de Recursos Hídricos do CBH Rio das Velhas.

O presidente do CBH Rio das Velhas, Marcus Vinícius Polignano, explicou que é preciso fazer um pacto coletivo de ação conjunta entre todos os atores em prol da Bacia do Rio das Velhas. “Precisamos ouvir os agricultores familiares, bem como outros atores da Bacia para saber as sugestões que podem nos ajudar a tomar decisões que possam melhorar a situação do Rio das Velhas”, afirma.

Veja a apresentação de Marcus Vinícius Polignano

Durante o Seminário, o presidente da Emater/MG, Amarildo José Brumano Kalil, apresentou duas ferramentas que poderão contribuir para uma melhor gestão dos recursos hídricos e que já está disponível para uso. Uma delas é o  Zoneamento Ambiental e Produtivo (ZAP), que delimita as bacias hidrográficas e permite avaliar três pontos principais: o uso do solo, separando vegetação nativa, cultura perene, pastagem e estrada, identificando toda a ocupação; estudo hidrológico com identificação de todos os cursos d’água e as unidades de paisagem, baseada na morfologia, na geologia e no tipo de solo e da vegetação.

A segunda ferramenta apresentada foi o Indicadores de Sustentabilidade em Agroecossistemas (ISA), que muda totalmente o enfoque e a abordagem dos técnicos no campo, introduzindo a visão da sustentabilidade. O técnico busca aferir a sustentabilidade de uma propriedade rural e, baseado nesse diagnóstico, elabora um plano de adequação socioeconômico daquela propriedade. Sustentado em um sentido econômico, sustentável e social.

Já o vice presidente do CBH Rio das Velhas, Ênio Resende, que também é coordenador técnico de Meio Ambiente da Emater/MG, abordou o contexto da agricultura no Plano Diretor de Recursos Hídricos da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas. Para ele, o Seminário foi uma oportunidade de diálogo entre o Comitê e os agricultores para realizar proposições de melhoria para o Rio das Velhas.

Veja a apresentação de Ênio Resende

Marcus Vinícius Polignano, destacou que deve-se fazer a gestão de rios e não de reservatórios como tem ocorrido. É fundamental que os agricultores familiares façam parte dos comitês de bacias. Queremos fortalecer os comitês, e os agricultores precisam estar inseridos nesse processo”, afirmou.

Também realizaram apresentações durante o Seminário a diretora-geral do Instituto Mineiro de Gestão das Águas, Maria de Fátima Chagas e a coordenadora de Meio Ambiente da Federação de Agricultura do Estado de Minas Gerais, Ana Paula Mello.

Veja a apresentação de Maria de Fátima Chagas

Veja a apresentação de Ana Paula Mello

Confira as fotos dos dois dias do Seminário

Mais informações e fotos em alta resolução:
Assessoria de Comunicação CBH Rio das Velhas
comunicacao@cbhvelhas.org.br