O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas (CBH Rio das Velhas) trabalha para que a comunidade e todos os atores da Bacia tenham a consciência e a atitude de cuidar, preservar e manter a vida de todo o curso do rio. Para isso, o Comitê incentiva que todos conheçam e entendam a vida, a beleza e os encantos encontrados no território da Bacia, promovendo assim a preservação que o meio ambiente tanto necessita. Afinal, é preciso conhecer para preservar.

Assim, para o mês de Janeiro, o CBH Rio das Velhas selecionou dicas de destinos para passeios e visitas com objetivo de incentivar a conhecer novos lugares, viver novas experiências e, consequentemente, ampliar o sentimento de amor e de cuidado pelos lugares e pelas riquezas que podem ser encontradas em todas as regiões do Rio das Velhas.

Lassance: patrimônio histórico e natural de Minas Gerais

O município de Lassance localiza-se na região do baixo Rio das Velhas e pertence a Unidade Territorial Estratégica do Guaicuí. A cidade que está a cerca de 300 km da capital mineira ficou conhecida, principalmente, por ser a cidade onde Carlos Chagas descobriu a Doença de Chagas.

Como atrativos a cidade conta com o Circuito Serra do Cabral, que se destaca por seus inúmeros atrativos de beleza singular. Há o Rio das Velhas que banha a cidade na sua margem esquerda e dezenas de quedas d’água que descem pelas encostas das serras formando cachoeiras deslumbrantes, na região há as cachoeiras das Palmeiras, Santo Antônio, Porcos, das Lajes e outras que encantam a todos que passam pela região. A vegetação de cerrado predomina a paisagem e os exóticos sítios arqueológicos do Parque Estadual Serra do Cabral atraem naturalistas e espeleólogos de todo o país.

Outro atrativo é o Memorial Carlos Chagas, onde funcionava o laboratório do Dr. Carlos Chagas, médico sanitarista. No local há um grande acervo de documentação de pesquisas e descobertas, além de equipamentos e instrumentos de trabalho da época.

Historicamente, Lassance era uma região cortada por tropeiros que ligava lugares distantes como Montes Claros, Sabarabussu (Sabará), Diamantina e Coração de Jesus. Em 1850, um tropeiro chamado Liberato Nunes de Azevedo construiu os primeiros ranchos às margens do Córrego Maria Grande, hoje Córrego São Gonçalo. Em 1907, surgiram as primeiras fazendas dedicadas à agropecuária e à extração de látex em seringueiras e, com a chegada da estrada de ferro, o desenvolvimento local foi impulsionado.

Veja as fotos da região:

<a href="https://flic.kr/s/aHskR684Rf" target="_blank">Click to View</a>

Mais informações e fotos em alta resolução:

Assessoria de Comunicação CBH Rio das Velhas
comunicacao@cbhvelhas.org.br