O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas (CBH Rio das Velhas) realizou juntamente com o Projeto Manuelzão, o Instituto Guaicuy, o Movimento pela Serra do Gandarela e outros parceiros uma manifestação pró-rios de Minas. O manifesto ocorreu nesta quarta (30), durante o Seminário Legislativo Águas de Minas III, na Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais, em Belo Horizonte. O objetivo da ação foi alertar a população e as autoridades presentes sobre a situação preocupante e chamar a atenção quanto à necessidade urgente de políticas públicas voltadas as águas e ao não contingenciamento de recursos.

O presidente do CBH Rio das Velhas, Marcus Vinícius Polignano, explicou que os movimentos se uniram para que a população e o governo entendam que é preciso salvar os rios de Minas Gerais. “Não basta apenas contar com a água das chuvas. Temos que fazer ações efetivas para termos rios vivos que tenham quantidade e qualidade de água. Essa manifestação é para mostrar a força da sociedade organizada”, diz.

Mesmo com as chuvas de setembro, o nível dos reservatórios e rios de Minas continuam preocupantes e mostram a grave crise existente. No São Francisco o nível do rio está muito abaixo do normal, com consequências drásticas para os municípios ribeirinhos. O Rio Doce já não consegue chegar ao mar. No Rio das Velhas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, a vazão ainda está baixa e as águas que chegam ao São Francisco estão contaminadas por cianobactérias. A situação é ainda mais grave em 136 cidades do estado que passaram a adotar alguma limitação do uso do recurso hídrico por causa da seca.

Para o presidente do CBH Rio das Velhas faltam políticas públicas e de gestão comprometidas com a revitalização dos rios e o problema se agrava com o contingenciamento feito pelo Governo de Minas Gerais que não está repassando os recursos cobrados dos usuários da água para os comitês. “O governo não repassou os recursos arrecadados do 4º trimestre de 2014 e duas parcelas de 2015, totalizando cerca de R$ 5 milhões para o CBH Rio das Velhas. Por isso, estamos sem recurso para revitalizar o Rio das Velhas e o que o governo está fazendo é contra a lei”, afirma Polignano.

Confira as fotos

Seminário Água de Minas III

A Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) promove a etapa final do Seminário Legislativo Águas de Minas III – Os Desafios da Crise Hídrica e a Construção da Sustentabilidade entre os dias 29 de setembro e 02 de outubro, em sua sede, em Belo Horizonte.

O Seminário tem como objetivo principal ampliar o debate sobre a crise hídrica do Brasil e seus impactos na sociedade. Também serão tratadas a implementação das leis nacional e estadual das águas e do saneamento, a gestão dos recursos hídricos de Minas Gerais e a educação ambiental. Além das discussões, os participantes votam propostas que poderão subsidiar a elaboração de políticas públicas para garantir a preservação dos recursos hídricos.

“Temos nesse Seminário uma chance histórica para mudar a atual realidade dos nossos rios. Precisamos ser proativos para salvarmos os rios de Minas e para que o desastre não seja maior. Precisamos pensar nas gerações futuras”, afirma o presidente do CBH Rio das Velhas, Marcus Vinícius Polignano, que palestrou no evento na manhã de hoje (30).

 

Mais informações e fotos em alta resolução:
Assessoria de Comunicação CBH Rio das Velhas
comunicacao@cbhvelhas.org.br