Diante da gravidade da situação do Rio Bicudo que, apesar das chuvas nos últimos dias, está praticamente seco e com irrigantes com uso de altos valores outorgados, o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas (CBH Rio das Velhas) sinaliza situação de conflito pelo uso dos recursos hídricos na Bacia Hidrográfica do Rio Bicudo.

Configura-se área de conflito quando a vazão outorgada aos empreendimentos que existem na região está muito superior ao que determina a Lei, que é de 30% do Q7-10, criando a impossibilidade de atender a todas as demandas de consumo de água do rio.

Para o coordenador-geral do Subcomitê da Bacia Hidrográfica do Rio Bicudo, Leandro Vaz Pereira, um dos principais problemas da região é que algumas pessoas estão aproveitando da situação de escassez hídrica da Bacia. “Muitos utilizam a água de forma irregular. Por isso, esperamos uma ação conjunta dos órgãos  fiscalizadores para sanar os problemas como poços irregulares e outorgas vencidas, o que tem prejudicado o abastecimento de água na região do Bicudo”, afirma.

O Plano Diretor de Recursos Hídricos (PDRH) da Bacia do Rio das Velhas ratifica que as demandas e consumos são superiores à disponibilidade hídrica da UTE Rio Bicudo, agravada por perfurações indiscriminadas de poços artesianos e barramento dos cursos d’águas que veem colaborando para criar um problema futuro ainda maior.

O presidente do CBH Rio das Velhas, Marcus Vinícius Polignano, explica que diferentes interlocutores em diversas regiões da Bacia do Rio Bicudo têm informado ao Comitê sobre a gravidade da situação, que vem se repetindo há mais de quatro anos. Polignano informa ainda que o CBH Rio das Velhas já solicitou ao Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) medidas no sentido do controle das outorgas em função da escassez de recursos hídricos na região.

Veja fotos da situação do Rio Bicudo e de seus afluente

montagembicudo

 

Mais informações e fotos em alta resolução:
Assessoria de Comunicação CBH Rio das Velhas
comunicacao@cbhvelhas.org.br