O Conselho Municipal do Meio Ambiente (Comam) reuniu-se, no dia 22 de junho, em Belo Horizonte, e um dos processos para aprovação era a Licença Prévia do Parcelamento do Solo vinculado ao uso residencial na Mata do Planalto. O assunto foi retirado de pauta a pedido do empreendedor.

O processo deve voltar a ser discutido na próxima reunião do Comam que será realizada no mês de julho. Muitas irregularidades vêm sendo apontadas no processo como o Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental EIA/RIMA) defasados, com data de 2010 e baseados em 2004 e a composição do conselho sem eleição.

A construtora Direcional pretende construir em 115 mil m² da Mata do Planalto, última área de vegetação de Mata Atlântica em Belo Horizonte. A área possui 200 mil m², cerca de 20 nascentes que deságuam no Rio das Velhas, 68 espécies de pássaros, além de outras espécies da fauna e flora ameaçadas de extinção. O projeto é empreender um condomínio de luxo com 16 prédios, 16 andares, 760 apartamentos e 1300 vagas de garagem.

A preservação da Mata do Planalto vem, a cada dia, recebendo mais apoiadores em sua causa e o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas (CBH Rio das Velhas) é um deles.

Veja as fotos da reunião do Comam

montagemcomam

Veja outras matérias sobre o assunto:

Nascentes e biodiversidade da Mata d Planalto estão ameaçados

 

Mais informações e fotos em alta resolução:
Assessoria de Comunicação CBH Rio das Velhas
comunicacao@cbhvelhas.org.br