Em evento realizado na noite desta quarta-feira (08), no anexo do Museu da Inconfidência, em Ouro Preto, o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas (CBH Rio das Velhas) promoveu o Seminário Final de Apresentação do Plano de Manejo do Parque Natural Municipal das Andorinhas. O projeto foi uma bandeira levantada pelo Subcomitê (SCBH) Nascentes e financiada com recursos provenientes da cobrança pelo uso da água na bacia.

O evento – que contou com a presença de várias autoridades do município, dentre elas o prefeito, Júlio Pimenta, e o secretário de Meio Ambiente, Antenor Barbosa – marcou a apresentação deste que será o instrumento gerencial a orientar a gestão eficiente desta importante Unidade de Conservação de Ouro Preto, e que abriga as nascentes do Rio das Velhas. “Vais ser o nosso plano de ação e a nossa orientação para preservação dessa tão área importante, não só pelas nascentes [do Rio das Velhas], como também por toda questão ecológica que o envolve”, destacou o prefeito.

O Plano de Manejo foi estruturado em Diagnóstico, Definição do Zoneamento do Parque e Planejamento Estratégico, que definiu programas e ações para manutenção e preservação da unidade. O coordenador do SCBH Nascentes, Ronald Guerra, que participou ativamente de todo o processo de concepção e elaboração do Plano de Manejo, destacou o papel do Subcomitê local como indutor de ações de conservação para a região. “O SCBH, já há um determinado tempo, vem auxiliando muito os municípios de Ouro Preto e Itabirito na condução de políticas públicas. E o Plano de Manejo representa isso, pois nasceu com o propósito de fomentar a gestão do Parque das Andorinhas, em função da importância que ele tem para toda a bacia”.

Ele e a diretora da Agência Peixe Vivo, Célia Fróes, lembraram ainda que Ouro Preto foi o primeiro município da bacia a ter o seu Plano Municipal de Saneamento Básico financiado pelo CBH Rio das Velhas, além de receber outros projetos hidroambientais, executados e em execução na região, que buscam a conservação e recuperação de bacias, visando restabelecer o equilíbrio do ecossistema.

Todo o desenvolvimento do Plano de Manejo, executado pela empresa MYR Projetos Sustentáveis, contou com a participação de diferentes atores chave, desde integrantes do CBH Rio das Velhas e do Subcomitê Nascentes, representantes da prefeitura, IEF (Instituto Estadual de Florestas), usuários do parque, população local, UFOP (Universidade Federal de Ouro Preto), Fundação Gorceix, entidade gestora do parque, Agência Peixe Vivo e outros.


Portal das Andorinhas: andorinhas.eco.br

A grande inovação do Plano de Manejo ficou por conta do “Portal das Andorinhas”, uma plataforma na internet que traz todos os dados produzidos e compilados ao longo do desenvolvimento do trabalho, bem como as camadas de estudo e bases cartográficas que podem ser manipuladas. “Trata-se de uma ação pioneira. Certamente o Parque Natural Municipal das Andorinhas será a primeira unidade de conservação que terá o seu plano de manejo inteiramente disponibilizado em formato web”, afirmou o coordenador do projeto, Thiago Metzker.

O portal já pode ser acessado. Provisoriamente ele está hospedado em www.andorinhas.eco.br, mas em breve seu endereço definitivo será www.parquedasandorinhas.ouropreto.mg.gov.br.

 

Vejas as fotos do Seminário Final

<a href="https://flic.kr/s/aHsm8MwLjj" target="_blank">Click to View</a>

 

Confira a apresentação sobre o Plano de Manejo do Parque das Andorinhas

 

A Unidade de Conservação

O Parque Natural Municipal das Andorinhas foi criado pela Lei Municipal n° 390, em dezembro de 1968, e integra a Área de Proteção Ambiental (APA) da Cachoeira das Andorinhas. A região deste parque, além da sua beleza incontestável, é considerada patrimônio natural de reconhecido valor histórico, paisagístico e turístico e, por isso, de suma importância para a história do município de Ouro Preto.

O parque reúne um conjunto de cachoeiras de rara beleza, como Andorinhas e Véu da Noiva, e uma grande diversidade de paisagens representativas de Mata Atlântica e do Cerrado. Além disso, a unidade abriga como referência geográfica e simbólica a nascente principal do Rio das Velhas.

 

Veja fotos do Parque Natural Municipal das Andorinhas

<a href="https://flic.kr/s/aHskrccWgu" target="_blank">Click to View</a>

 

UTE Nascentes

A Unidade Territorial Estratégica (UTE) Nascentes localiza-se no Alto Rio das Velhas, possui uma área de 541,58 km² integrada pelos municípios de Itabirito e Ouro Preto. Nesta UTE, o Rio das Velhas tem 55 km de comprimento, desde suas nascentes no Parque Natural Municipal Cachoeira das Andorinhas, em Ouro Preto, até a barragem de Rio de Pedras, em Acuruí, distrito de Itabirito. Sua área urbana com maior representatividade é Cachoeira do Campo, distrito de Ouro Preto e seus principais afluentes são: Rio Maracujá, Ribeirão do Funil, Córrego Olaria e Córrego do Andaime. Saiba mais em cbhvelhas.org.br/nascentes


Mais informações:

Assessoria de Comunicação CBH Rio das Velhas
comunicacao@cbhvelhas.org.br