O Subcomitê Rio Taquaraçu, vinculado ao Comitê de Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas (CBH Rio das Velhas), e a empresa DHF Consultoria e Engenharia realizaram uma reunião pública na manhã desta terça-feira (18), em Taquaraçu de Minas com o objetivo de apresentar estudos de viabilidade técnica para o desenvolvimento e elaboração do Projeto de Esgotamento Sanitário para os municípios de Taquaraçu de Minas, Nova União e Caeté, pertencentes as UTEs Rio Taquaraçu e Poderoso Vermelho.

A mobilizadora social da empresa DHF, Cristiane Alcântara fala sobre o objetivo da reunião. “O propósito é de passar para a população e membros do Subcomitê as possíveis alternativas para a implantação do sistema de esgotamento sanitário, de acordo com os estudos dos realizados pelos técnicos da empresa”, explicou Alcântara.

Durante a reunião, Romeu Sant’Anna, responsável técnico do projeto apresentou aos presentes 7 alternativas de fossas sépticas para atender famílias que moram na zona rural, onde a maioria utiliza a técnica de fossa negras.

As novas alternativas apresentadas de fossas sépticas, foram: filtro e sumidouro; tanque de evapotranspiração e círculo de bananeiras; fossa biodigestora e círculo de bananeiras; fossa dupla absorvente; fossa séptica e sumidouro; filtro e vala de filtração e tanque de evapotranspiração e vala de filtração.

Veja a apresentação:

 

Vicente de Paula Rodrigues, conselheiro e representante da Copasa também apresentou a alternativa de fossa séptica com a utilização de três bombonas, que foi implantada na Comunidade de Maquiné na bacia do Córrego Santo Antônio, em Ravena.

Segundo ele, a técnica é mais econômica e apresenta bons resultados. Em três anos de implantação das fossas, o monitoramento indica uma eficiência de 50% na qualidade das águas do Córrego.
Ao final das apresentações, a empresa contratada realizou um questionário, em que os presentes indicaram a melhor alternativa de esgotamento sanitário para a região. O dado será passado para a Agência Peixe Vivo.

A reunião em Taquaraçu de Minas integra o projeto contratado que visa à elaboração de Projetos Básicos de Sistemas de Abastecimento de Água, Sistemas de Esgotamento Sanitário e Sistemas de Drenagem Pluvial para diferentes localidades de municípios situados na Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas. O projeto contempla, principalmente, áreas rurais dos municípios das UTEs Ribeirão Jequitibá, Jabó/Baldim, Ribeirão Picão, Rio Bicudo, Ribeirão Caeté/Sabará, Rio Itabirito, Nascentes, Águas do Gandarela, Ribeirão da Mata, Rio Taquaraçu e Poderoso Vermelho. Essas demandas foram apresentadas pelos Subcomitês no Chamamento Público de Demandas Espontâneas que aconteceu em 2015.

Veja as fotos da reunião:

<a href="https://flic.kr/s/aHskTqPN3n" target="_blank">Click to View</a>

UTE Rio Taquaraçu

A Unidade Territorial Estratégica (UTE) Rio Taquaraçu localiza-se no Médio Rio das Velhas e é composta pelos municípios de Caeté, Jaboticatubas, Nova União, Santa Luzia e Taquaraçu de Minas. Os principais rios da Unidade são o Rio Taquaraçu, Rio Vermelho, Ribeirão Ribeiro Bonito e o Rio Preto.

O Rio Taquaraçu, principal curso da região, destaca-se por sua beleza e boa qualidade de suas águas. O rio, no município de Taquaraçu de Minas forma uma praia natural de águas claras e calmas, que cada vez mais atrai turistas para a região.

Com o baixo índice de urbanização e industrialização, a maior parte da população da UTE encontra-se em áreas rurais, o que colabora com a preservação do rio. Porém, a manutenção da vida dos cursos d’ água estão sendo ameaçadas pelo lançamento de esgoto in natura, pois a UTE não dispõe de qualquer tipo de tratamento de efluentes.

Por isso, o projeto de esgotamento sanitário torna-se tão importante para a região, como afirma o conselheiro Ademir Martins Bento. “A reunião teve uma função de grande importância e interesse, pois toda a região rural possui a carência de programas de saneamento básico”, salientou.

O coordenador – geral do Subcomitê, Ricardo Costa fala sobre o benefício do projeto para a garantia da vida. “A nossa preocupação e objetivo é garantir a preservação da vida e sensibilizar as pessoas sobre o cuidado com a natureza, a fim de garantir a sobrevivência da nossa população, pois o não tratamento de esgoto pode ocasionar epidemias”, refletiu.

O projeto atenderá três comunidades do município de Caeté, são elas: Antônio dos Santos, Rancho Novo e Água Limpa; sete comunidades do município de Nova União: Altamira, Baú, Limeira, Barbosa, Bernardo, Monte Horeb e Lopes; e seis comunidades do município de Taquaraçu de Minas: Teixeira, Campo de Santo Antônio, Amaro, Capão, Curralinho e Engenho. O projeto prevê o atendimento de aproximadamente 500 famílias na zona rural.

Conheça a região:

<a href="https://flic.kr/s/aHskTqPZkT" target="_blank">Click to View</a>

Na oportunidade, a empresa Mantiqueira apresentou estudo que está sendo realizado na região para um empreendimento de linha de transmissão.

Tiago Castro, analista ambiental da empresa explicou que a demanda de energia na localidade aumentou nos últimos anos e por isso faz-se necessário o empreendimento. Diante disso, os membros do Subcomitê questionou a empresa sobre os impactos ambientais, como a abertura de estradas e o desmatamento em topos de serra. A empresa alegou que o estudo prevê o menor impacto possível e que também estão preocupados com a preservação ambiental da região.

Assim, o coordenador – geral pede uma compatibilização de interesses. “Precisamos de energia e ela é necessária para o desenvolvimento e crescimento, mas isso precisa estar em harmonia com a preservação ambiental da região. Contamos com esse espírito de cooperação da empresa”, refletiu.

Veja a apresentação:

.


Mais informações:

Assessoria de Comunicação CBH Rio das Velhas
comunicacao@cbhvelhas.org.br