Com o intuito de atender as reivindicações da comunidade, recuperar e preservar a Bacia do rio Bicudo, o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas realizou no dia 15 de abril, o Seminário Inicial das obras, em Morro da Garça, o Programa de Recuperação da bacia Hidrográfica do rio local. Autoridades e populares estiveram presentes e ressaltaram a importância do projeto para os municípios.

O projeto consiste na construção de barraginhas que retém a água da chuva, permitindo que ela se infiltre no solo. Uma significativa condição nesses tempos de crise hídrica. “Desta forma, as barraginhas recarregam o lençol freático, deixando-o em nível mais elevado. Além de preservar a terra já que, ao conter as enxurradas, evita erosões”, esclareceu o coordenador geral do Subcomitê Bicudo, Leandro Vaz Pereira.

“Hoje estamos realizando mais um grande sonho e um passo representativo para manter vivos os nossos rios. Sem a parceria com o CBH Rio Das Velhas não poderíamos fazer esse processo. Nossos municípios não têm recursos e por isso, essa união e amizade deve prevalecer. Agradecemos ao Comitê e toda a equipe por não deixar que esse sonho se perdesse”, disse o prefeito de Morro da Garça, José Maria de Castro Matos.

Já o coordenador do Subcomitê Bicudo, Leandro Pereira, lembrou os benefícios proporcionados pelos projetos hidroambientas. “O projeto promoverá a melhoria hidroambiental em pontos diversos de estradas rurais na Bacia do rio Bicudo a partir da construção de bacias de captação de águas pluviais (barraginhas), ações de educação ambiental e mobilização social”, ressaltou ao destacar que as barraginhas são ferramentas importantes, no entanto, é fundamental que existam outras iniciativas para a preservação das águas como a preservação das matas ciliares e os cuidados com a manutenção do sistema.

A mobilizadora social e integrante da equipe da Neogeo, empresa que executará a obra, Juliane Azevedo, disse que a ação do Comitê é significativa e demonstra o apoio da instituição, não somente a Bacia do Bicudo, mas a toda a bacia do rio as Velhas. “As barraginhas são necessárias para a melhoria das águas. Junto a elas é fundamental também a conservação e recuperação das matas ciliares”, disse.

Ainda segundo a mobilizadora, a proposta principal do programa é propiciar uma relação mais sustentável do proprietário rural com os recursos ambientais de sua propriedade por meio da captação de águas superficiais de chuvas, construindo pequenas barragens (mini açudes) nos locais em que ocorrem enxurradas volumosas e erosivas ou ainda em lugares que sofram com a escassez da água.

“Contribuir para a revitalização ambiental dos rios que compõem a bacia do Rio das Velhas, promovendo o desenvolvimento local e garantir a diversificação da base econômica com sustentabilidade ambiental”, essa é a expectativa afirma Juliane ao ressaltar que propiciar a implantação de arranjos produtivos de educação, preservação do meio ambiente e economia por meio das barraginhas é disponibilizar através do projeto maiores volumes de água.

Como revelou a mobilizadora, a execução das intervenções do projeto estão vinculados à realização de ações de mobilização social que envolverão a população em todas as fases. “O intuito é promover a participação, o envolvimento social a partir da realização de reuniões periódicas, o cadastramento dos proprietários beneficiados e a obtenção de anuência para execução da obra. “Esses trabalhos são importantes para manter abertos os canais de comunicação e sensibilizar a população quanto à preservação do meio ambiente”, reforça.

Veja as fotos

O que são Projeto hidroambientais?

Voltados à recuperação e conservação de nascentes, cursos d’água e todo o ecossistema que alimenta e mantêm vivos os rios, os projetos são reivindicações que surgem das comunidades motivadas por problemas de degradação hidroambiental, principalmente da poluição dos rios. Realizados através de parte dos recursos da cobrança pelo uso da água, os projetos têm suas propostas encaminhadas à Diretoria que, em conjunto com as Câmaras Técnicas – CTs e a Agência de água da bacia, a AGB Peixe Vivo, analisam os aspectos de viabilidade técnica e financeira, além da compatibilidade com as referências principais que norteiam a ação do Comitê.

O Projeto recuperação da Bacia Hidrográfica do rio Bicudo

O programa de recuperação da bacia hidrográfica do rio Bicudo “Construção de barraginhas” consiste na construção de 308 barraginhas na bacia local e acontecerá nos municípios de Corinto e Morro da Garça. O objetivo é auxiliar na redução de processos erosivos, captar água da chuva, reabastecer o lençol freático e reter sedimentos oriundos de enxurradas. A empresa vencedora do processo licitatório foi a Neogeo Geotecnologia Ltda que será fiscalizada pela agência de bacia – AGB Peixe Vivo.
O Projeto Barraginha consiste na construção de mini-barramentos, em forma de meia lua, com objetivo de recolher a água da chuva para facilitar a infiltração da água superficial, elevar o nível do lençol freático, diminuir a erosão e o assoreamento de córregos e rios e criar sustentabilidade familiar.

Resultados Esperados

Com a construção das Barraginhas é esperado que a erosão nas propriedades diminua, a disponibilidade de água aumente e que ocorra uma melhoria na qualidade de vida. Esses benefícios afetarão diretamente a população. Como por exemplo, a disponibilidade de água e o solo menos suscetível a erosão ajudará na agricultura, principal fonte de renda das famílias, tornando-a mais efetiva, reduzindo os custos e aumentando a segurança na produção. Ajudando no aumento da renda familiar e propiciando melhores condições de vida.

Conheça Morro da Garça

O município teve suas raízes no século XVII, caminho de boiadeiros entre a Bahia e a Vila de Sabará. O nome é devido à existência da elevação rochosa. O morro serviu por três séculos como guia para viajantes, tropeiros e comitivas. Atualmente destaca-se a casa de Cultura do sertão e ainda o conto “O Recado do Morro” da obra de João Guimarães Rosa.

UTE (Unidade Territorial Estratégica) Rio Bicudo

Acesse a MAPOTECA completa da UTE Rio Bicudo
Mais informações e fotos em alta resolução:
Assessoria de Comunicação CBH Rio das Velhas
comunicacao@cbhvelhas.org.br