Propostas para projetos de revitalização de quatro microbacias inseridas na Bacia do Rio das Velhas e na APA das Andorinhas foram apresentadas pelo coordenador do Subcomitê Nascentes, Ronald Carvalho e o ambientalista Carlos Lucchi na reunião do Subcomitê Nascentes, no dia 6 de Fevereiro, em Ouro Preto.

ReuniãoNascentes_CBHVelhas_TantoExpresso_Credito_FernandaOliveira_baixa-3

“O intuito do projeto é aumentar a quantidade e a qualidade da água de quatro microbacias de cabeceira, pertencentes à bacia hidrográfica do Rio das Velhas, inseridas na Área de Proteção Ambiental Estadual da Cachoeira das Andorinhas e envolver a comunidade como participante e multiplicadora das ações”, declarou Carvalho.

ReuniãoNascentes_CBHVelhas_TantoExpresso_Credito_FernandaOliveira_baixa-1

Entre as propostas está a elaboração de um mapa perceptivo das microbacias com os proprietários rurais e com a comunidade do entorno de forma a mapear problemas, necessidades e melhorias; instalar 35 biodigestores e/ou fossas sépticas para os moradores da comunidade de Maciel; georreferenciar e cadastrar 15 nascentes; recuperar 12 nascentes; construir 30 bacias de contenção; inserir os proprietários da microbacia no programa Bolsa Verde; monitorar mensalmente a vazão e a qualidade da água em 10 pontos específicos e cercar 34.618m ao longo das margens dos cursos de água.

ReuniãoNascentes_CBHVelhas_TantoExpresso_Credito_FernandaOliveira_baixa-4

“Buscamos fazer um novo modelo de gestão de proteção de mananciais, do uso do solo, focando a gestão do território de sub-bacias com um olhar de produção de água, para que isso depois possa ser replicado em outras sub-bacias do território das Andorinhas como outras do rio das Velhas. Se mudarmos o modelo de gestão desses territórios com certeza teremos mais água com mais qualidade e quantidade”, afirma Ronald.

Ainda segundo ele, essas propostas envolvem todas as comunidades urbanas e rurais, ONGs, instituições, prefeituras e diversos órgãos de governo. “Quanto mais envolvimento tivermos de todos os diversos setores, mais fortalecidos estarão os projetos”, reforça.

Para saber mais sobre o projeto acesse:

Área de Abrangência

Quatro microbacias inseridas no território do SCBH Nascentes, da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas, localizadas no distrito de São Bartolomeu, na APA das Andorinhas, em Ouro Preto. Três são contíguas como é o caso das microbacias do Córrego Jequeti, do Córrego Afogador e uma terceira denominada de Córrego São Bartolomeu; a quarta é a microbacia do Córrego Andaime.

Microbacia do Córrego Afogador

A microbacia do Córrego Afogador possui uma área de aproximadamente 174 ha, duas nascentes, um afluente com 1.064m, e o curso d’água principal mede 2.769m de comprimento. Junto a outra sub-bacia do entorno, ela perfaz um total de cerca de 324 hectares, dos quais 67,7% são ocupados com vegetação rasteira, utilizadas principalmente para pasto. (Fonte: AQUA)

Microbacia do Córrego Andaime

A microbacia do Córrego do Andaime está localizada à margem esquerda do Rio das Velhas, onde se localiza a comunidade de Maciel. O trecho proposto para estudo possui uma área de aproximadamente 176 ha. O córrego principal possui cerca de 2.948 m de comprimento. Existem no local seis nascentes, das quais apenas uma se encontra preservada. Os terrenos que pertencem ao trecho da microbacia pertencem a sete proprietários rurais distintos e a diversos lotes. Cerca de 50% da área total está desmatada, além de que muitas das casas estão localizadas na planície de inundação do córrego do Andaime, ou seja, a menos de 30 metros da drenagem principal, portanto em área de preservação permanente. (Fonte: AQUA)