Na 90ª Plenária do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas (CBH Rio das Velhas), que aconteceu na sexta-feira, 24 de junho, os coordenadores dos Subcomitês Ribeirão Onça e Ribeirão Arrudas apresentaram ações e atividades que estão sendo realizadas em suas unidades territoriais estratégicas de gestão.

Unidade Territorial Estratégica Ribeirão Arrudas

A Unidade Territorial Estratégica Ribeirão Arrudas localiza-se no Alto Rio das Velhas e é composta pelos municípios de Belo Horizonte, Contagem e Sabará. Os principais cursos d’água desta UTE são o Ribeirão Arrudas, Córrego do Barreiro, Córrego do Jatobá e Córrego Ferrugem. A unidade apresenta o quinto maior consumo per capita na Bacia do Rio das Velhas.

A coordenadora – geral do Subcomitê Ribeirão Arrudas, Cecília Rute, afirmou que a nascente do Ribeirão encontra-se com água cristalina e em leito natural, e salientou os problemas de enchentes que acontecem na região do boulevard Arrudas.

Para a UTE foi assinado no dia 07 de abril, o projeto hidroambiental “Revitalização de Nascentes Urbanas na Bacia Hidrográfica do Ribeirão Arrudas e divulgação de práticas ambientais para Proteção e Conservação das Nascentes” em continuidade ao projeto de “Valorização das Nascentes Urbanas”. Assim , o projeto visa à revitalização de sete nascentes já mapeadas na bacia do Ribeirão Arrudas e na realização de práticas de educação ambiental para a proteção e conservação das mesmas.

90plenaria_cbh_tanto_ohana-47
Cecília Rute, coordenadora -geral do Subcomitê Ribeirão Arrudas

Veja a apresentação:

Unidade Territorial Estratégica Ribeirão Onça

A Unidade Territorial Estratégica Ribeirão Onça localiza-se no Alto Rio das Velhas e é composta pelos municípios de Belo Horizonte e Contagem. Os principais cursos d’água da UTE são o Ribeirão do Onça, Ribeirão da Pampulha, Córrego da Ressaca, Ribeirão do Cabral, Córrego São João e Córrego da Isidora. Os principais agentes de degradação das águas superficiais na UTE Ribeirão Onça devem-se, sobretudo, aos lançamentos de esgotos domésticos e aos efluentes industriais.

O coordenador – geral do Subcomitê Ribeirão Onça, Márcio Lima, iniciou sua apresentação relatando a diversidade dos habitantes da sub-bacia do Ribeirão, e ressaltou a importância de movimentos como o “Deixem Onça Beber Água Limpa”, para ele esses eventos são importantes por mobilizar e conscientizar a comunidade sobre as questões ambientais.

90plenaria_cbh_tanto_ohana-51
Márcio Lima, coordenador -geral do Subcomitê Ribeirão Onça

Veja a apresentação:

Cadastro Ambiental Rural (CAR)

O Cadastro Ambiental Rural (CAR) é um registro eletrônico, obrigatório para todos os imóveis rurais, que tem por finalidade integrar as informações ambientais referentes à situação das Áreas de Preservação Permanente (APP), Reserva Legal, florestas e remanescentes de vegetação nativa, Áreas de Uso Restrito e áreas consolidadas das propriedades e posses rurais do país. Criado pela Lei 12.651/2012 no âmbito do Sistema Nacional de Informação sobre Meio Ambiente (SINIMA), o CAR constitui uma base de dados estratégica para o controle, monitoramento e combate ao desmatamento das florestas e demais formas de vegetação nativa do Brasil, bem como para planejamento ambiental e econômico dos imóveis rurais.

Nesse contexto, o representante da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SEMAD), Leonardo Vieira, apresentou a situação atual do CAR. Segundo ele, na Bacia do Rio das Velhas há atualmente 33 mil cadastros de imóveis rurais e pede para que o Comitê, por meio de seus Subcomitês, auxilie na mobilização de áreas da Bacia que ainda não se cadastraram.

Veja a apresentação:


Mais informações e fotos em alta resolução:

Assessoria de Comunicação CBH Rio das Velhas
comunicacao@cbhvelhas.org.br