O Subcomitê da Bacia Hidrográfica do Rio Bicudo vinculado ao Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas (CBH Rio das Velhas) realizou na última quarta – feira (16), no município de Corinto, eleição de novos membros.

No encontro, os integrantes do Subcomitê deram informes sobre o debate público “Águas de Minas: Revitalização e Gestão dos Rios de Minas” que será realizado na Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais (ALMG), no dia 21 de março, próxima segunda-feira. E sobre a campanha do Comitê de Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas (CBH Rio das Velhas), “Água como Direito Humano”.

Na eleição, os integrantes do Subcomitê elegeram para coordenador da sociedade civil, Francisco de Assis de Oliveira, representante do Projeto Metamorfose; para coordenador de usuários elegeram Patrício Arcanjo Silveira, representante da Copasa e para coordenador do poder público e geral elegeram, Leandro Vaz Pereira, representante da Prefeitura de Corinto.

“A expectativa para a nova gestão é das melhores já que o projeto de demanda espontânea foi aprovado e esperamos contar com o maior número de parcerias possível para otimizar ainda mais os recursos. Além disso, esperamos que os membros do Subcomitê fiquem cada vez mais envolvidos e ativos para o bem do Rio Bicudo e consequentemente para o Rio das Velhas”, afirma Leandro Vaz Pereira, eleito como coordenador – geral do Subcomitê Rio Bicudo.

bicudo-ohana-16
Da esq. p/ dir.: Coordenador da sociedade civil, coordenador do poder público e geral e coordenador de usuários de água.

O coordenador – geral, Leandro Vaz Pereira, sugeriu aos presentes que as próximas reuniões sejam presididas por conselheiros de Morro da Garça e Corinto, assim a cada nova reunião dois conselheiros, um de cada cidade irá presidir a reunião do Subcomitê Rio Bicudo. Segundo Leandro, a ideia é fazer com que os demais conselheiros do Subcomitê sejam mais ativos e que compreendam mais sobre as questões relativas a bacia, além de ser uma oportunidade de vivenciar e entender as atividades atribuídas à coordenação – geral.

Além disso, na reunião também foi apresentando o processo que se encontra as demandas espontâneas que foram aprovadas no chamamento público de 2015. As demandas foram “Elaboração de estudos e projetos de revitalização de bacias em área urbana (Fundo de Vale)”, “Continuidade do projeto hidroambiental da Bacia do Rio Bicudo” e “Implantação de sistemas de abastecimento de água em comunidades rurais”. Para início imediato, a demanda que dará continuidade ao projeto hidroambiental que visa garantir as devidas correções ao mau uso e ocupação do solo, além da construção de paliçadas, recuperação de nascentes e matas ciliares e adequação de estradas rurais, foi a selecionada.

Veja as fotos do encontro:

Projeto hidroambiental

No mês de setembro do ano passado foi entregue a comunidade o projeto hidroambiental realizado na região. O projeto consistiu na recuperação da Bacia Hidrográfica do Rio Bicudo, onde foi construído 314 barraginhas, as mesmas possuem a finalidade de recolherem a água da chuva, retendo sedimentos oriundos das enxurradas. Sendo assim, facilitam a infiltração da água superficial, elevam o nível do lençol freático, diminuem a erosão e o assoreamento de córregos e rios e criam sustentabilidade familiar.

Sobre a região

A bacia do Rio Bicudo localiza-se no Baixo Rio das Velhas e é composta pelos municípios de Corinto e Morro da Garça. O Rio Bicudo possui alguns cursos d`água intermitentes (que secam durante o período de estiagem), fazendo com que a disponibilidade de água nos períodos de seca seja um dos grandes problemas na bacia, que possui uma representativa população rural que utiliza a água na produção agrícola e pecuária.

montagem_riobicudocheio
Rio Bicudo em época de cheia, foto tirada em março de 2016. (Crédito: CBH Rio das Velhas – TantoExpresso: Ohana Padilha)

Campanha “Água como Direito Humano”

O CBH Rio das Velhas, por meio da campanha “Água como Direito Humano” chama a coletividade, as instituições e pessoas da Bacia do Rio das Velhas à debaterem, discutirem e se articularem para não apenas a manutenção de quantidade e qualidade de água, mas principalmente para a garantia dos diversos usos, da biodiversidade e dos direitos que são considerados fundamentais a todas as pessoas e que hoje, infelizmente, não são plenamente garantidos.Tal questão é fundamental para o fortalecimento da gestão das águas, uma vez que as consequências para a saúde da população impõem mudanças drásticas na atuação de todos os atores.


Mais informações e fotos em alta resolução:

Assessoria de Comunicação CBH Rio das Velhas
comunicacao@cbhvelhas.org.br