Com o objetivo de verificar o uso e ocupação do solo, de identificar e cadastrar nascentes e de elaborar relatório, os membros do Subcomitê Santo Antônio/Maquiné realizaram visita às nascentes.

A visita faz parte do plano de trabalho do Subcomitê que visa à realização de ações e estratégias em prol da recuperação, preservação e manutenção das águas na região. A atividade também segue os objetivos da campanha “Água como Direito Humano”, com a realização de ações para a garantia de água de qualidade e quantidade e para a preservação da integridade ecossistêmica para a manutenção da vida dos rios e mananciais, além disso, a visita é uma forma de dar continuidade ao plano de metas para a revitalização do Rio das Velhas.

“A nossa visita foi de extrema importância, pois as nascentes visitadas serão tratadas, isoladas e cercadas para manter o estado em que se encontram”, afirma o coordenador-geral do Subcomitê, Vicente do Carmo. “As nascentes estão em excelentes condições”, conclui.

“A visita foi muito proveitosa. Vimos três nascentes que contribuem para o Ribeirão Maquiné, o qual deságua no Córrego Santo Antônio e depois no Rio das Velhas. A última nascente visitada contribui para o Córrego Riacho Fundo, o qual deságua no Córrego Santo Antônio e depois no Rio das Velhas. A maior surpresa da visita é de que as nascentes estão bem protegidas e o que temos a fazer é aumentar a proteção das áreas”, relata o presidente da ARPA, Marco Aurélio.

Para a atividade foi visitado quatro nascentes contribuintes para o Ribeirão Maquiné e Córrego Santo Antônio, situadas na comunidade de Mascarenhas, na cidade de Curvelo.

Veja as fotos da visita

Sobre a UTE Santo Antônio-Maquiné

A Unidade Territorial Estratégica (UTE) Santo Antônio-Maquiné localiza-se no Médio Baixo Rio das Velhas e é composta pelos municípios de Curvelo e Inimutaba. A unidade ocupa uma área de 1.336,82 km² e possui 25.047 habitantes. Os principais cursos d’água da região são o Ribeirão Maquiné, com extensão de 90,45 quilômetros, Córrego Santo Antônio, com aproximadamente 25 km passando pela cidade de Curvelo e o Córrego Riacho Fundo.

Por que preservar as nascentes?

A nascente é o local onde se inicia um curso d’água seja ele grande ou pequeno. As nascentes também são conhecidas, como: olhos d’água, cabeceiras, minas ou fontes. A importância de se preservar esse bem que se inicia de forma tão tímida e discreta é que ele é responsável por ajudar a abastecer os riachos, córregos e cursos que, por sua vez, abastecem os rios. Além disso, contribuem na manutenção dos ecossistemas.


Mais informações e fotos em alta resolução:

Assessoria de Comunicação CBH Rio das Velhas
comunicacao@cbhvelhas.org.br