Orgãos como IEF, EMATER, ONGs, associações e o CBH Rio das Velhas realizam atividade de campo para estimular a preservação das nascentes e matas ciliares.

Realizada no dia 17 de dezembro na zona rural de Morro da Garça, município com cerca de 3 mil habitantes no norte de Minas Gerais e que se encontra no médio Rio das Velhas, a Visita de Campo do Subcomitê da Bacia do Rio das Velhas Rio Bicudo mobilizou diversos parceiros para o plantio de 150 mudas de árvores nativas e a construção de uma barraginha (técnica de represagem da água) para recuperação da área degradada.

Todo material para realização da atividade foi cedido pelo Instituto Estadual de Florestas, o IEF, e utilizado em uma área previamente cercada pelo proprietário. “Quando chegamos aqui verificamos que já estava tendo uma boa regeneração natural da vegetação nativa por conta do isolamento. Nesse caso, o plantio de especies nativas em uma área como essa é mais simbólico, já que a regeneração atual é mais importante e da mais resultados para o meio ambiente. Mesmo assim fizemos o plantio de 150 mudas na região que estava menos povoada pela regeneração natural”, relata Ricardo Leite, engenheiro agrônomo do IEF de Corinto. Segundo o engenheiro, em dois a três anos a regeneração do solo estará bastante avançada.

A Visita de Campo foi agendada durante a reunião realizada no dia 18 de novembro pelo SCBH Rio Bicudo, subcomitê fundado em 2011 que atua nos municípios de Corinto e Morro da Garça. O objetivo da atividade era colocar em prática as discussões que pautavam os encontros do subcomitê e envolver ainda mais a comunidade. “A gente sabe que toda atividade na prática gera mais envolvimento nas pessoas e elas entendem a importância daquilo que elas estão fazendo. No caso da Visita da Campo o foco foi a importância da água, de recuperar as nascentes, as matas ciliares e a realização de barraginhas, que é um projeto nosso e nasceu no comitê em 2011 e é um ganho para bacia”, relata o coordenador.

Durante as décadas de 60 e 70 a degradação dessa área se intensificou por causa da instauração das carvoarias, um tipo de economia responsável pelo desmatamento do cerrado e que motivou o assoreamento do leito dos córregos e, consequentemente, causou vários prejuízos as nascentes da região. Para frear esses danos, a prefeitura de Morro da Garça realiza um trabalho de conscientização dos produtores rurais. “O trabalho feito pela Secretaria de Meio Ambiente da prefeitura, juntamente com a Emater, orienta os produtores rurais na preparação correta do solo para o plantio”, afirma o prefeito de Morro da Garça, José Maria de Castro Matos, que ainda completa que graças ao CBH Velhas, Emater e o envolvimento da sociedade civil, as pessoas estão tomando consciência a importância de reflorestar a região que atinge Morro da Garça e Corinto.

Baixa vazão no Rio Bicudo

O Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos – Sisema apresentou na 81ª Plenária Geral do CBH Rio das Velhas uma análise ambiental realizada pelo analista Lucas Berbert no Rio Bicudo, um dos afluentes do Rio das Velhas. A análise foi feita após um ofício produzido e enviado ao Sisema pelo comitê em outubro de 2014. Após essa apresentação ficou acordado que será realizada uma fiscalização dos pontos apontados na análise.

Veja a análise completa

 


Mais informações e fotos em alta resolução:

Assessoria de Comunicação CBH Rio das Velhas
comunicacao@cbhvelhas.org.br