Com o objetivo de conhecer, de caracterizar e diagnosticar as características e necessidades das nascentes, integrantes do Subcomitê Ribeirão Onça, representantes da empresa GOS Florestal e AGB Peixe Vivo realizaram visita às nascentes na sexta-feira (08).

A visita faz parte do plano de trabalho do projeto hidroambiental “Revitalização de Nascentes Urbanas na Bacia Hidrográfica do Ribeirão Onça e divulgação de práticas ambientais para Proteção e Conservação das Nascentes”, que foi assinado. O projeto dará continuidade ao projeto de “Valorização das Nascentes Urbanas”.

Assim, o projeto visa a revitalização de nove nascentes já mapeadas na bacia do Ribeirão Onça e na realização de práticas de educação ambiental para a proteção e conservação das mesmas.

A conselheira do Subcomitê Ribeirão Onça, Maria José Zeferino Vieira, ressalta a importância do cuidado com as nascentes “toda vez que vejo uma água limpa isso me remete a minha infância, sempre morei em regiões de nascentes. O valor delas é muito grande, pois o que mais precisamos é de água. Assim, devemos cuidar delas para alimentar os nossos rios e para termos rios”.

A visita técnica

O primeiro ponto de parada aconteceu na nascente 007, na Rua Angelônia, 15, Bairro Paulo VI, Belo Horizonte. A nascente está situada em uma área pública conhecida como Buracão e a referência para sua localização é a Escola Sobral Pinto. No mesmo terreno há outras duas nascentes, cujas águas brotam de forma difusa em uma cabeceira de drenagem. A região encontra-se descaracterizada do ponto de vista natural.

nascente01
A nascente está localizada em área pública

O segundo ponto de parada aconteceu na nascente 124, na Rua Padre Agemiro Moreira, 160 – Paulo VI / Belo Horizonte. Alguns moradores do entorno utilizam o espaço desocupado à montante para despejo clandestino de entulho e lixo.

nascente02
Mina d’água é conhecida por moradores da região

A terceira parada ocorreu na nascente 159 situada, na Rua Inês Glasman, 957 – Ribeiro de Abreu / Belo Horizonte. A está próxima ao Ribeirão Onça e sua água, que já foi a principal fonte de abastecimento para a população, ainda abastece a região quando o bairro é acometido pela falta de água da Copasa.

nascente03
Nascente Fundamental, do Ribeirão Onça

A quarta nascente visitada foi a ON025, localizada na MG-020, KM 135 – Ribeiro de Abreu / Belo Horizonte. A nascente está localizada no córrego Lajinha, canal fluvial à margem esquerda do Ribeirão Onça, onde se encontra a Comunidade Quilombola Mangueiras.

nascente04
Cabeceira localizada na sub-bacia Laranjeiras

A quinta para aconteceu na nascente 127, na Rua Expedicionário José Ramos, 250 – Jardim Felicidade / Belo Horizonte. A nascente está localizada em uma área pública, junto ao muro da Escola Municipal Jardim Felicidade. Ela se encontra no mesmo quarteirão de outra nascente com características semelhantes. A água escoa diretamente para o córrego Tamboril. A alguns metros, a jusante, deságua no Córrego Isidoro.

nascente05
A nascente é usada para o uso público da comunidade

O sexto ponto de parada ocorreu na nascente 135 na Rua José Oscar Barreiro, 758 – Planalto / Belo Horizonte. O solo apresenta alto grau de assoreamento e baixa impermeabilidade.

nascente06
Mina d’água localizada na área da Mata do Planalto

A sétima nascente visitada foi a 080, localizada na Rua Flor de Natal, 150 – Jardim Montanhês / Belo Horizonte. A nascente está situada no quintal da residência e sua água é utilizada para serviços domésticos. Em seu entorno existem espécies arbustivas.

nascente07
Nascentes são utilizadas para uso doméstico

A penúltima parada foi na nascente 037, na Rua Cinco, 635, Chácaras Cotia – Santa Terezinha / Contagem. A área possui três nascentes principais, sendo duas próximas às residências existentes no lote. A água é utilizada para consumo humano e de animais, além de atividades domésticas.

nascente08
Nascentes localizadas no quintal de residência

A última parada aconteceu na nascente 116, localizada na Rua Jordânia, 300 – Ouro Preto / Belo Horizonte. A nascente pertence a uma congregação religiosa de origem italiana, onde funciona uma creche. O uso da nascente é educativo, pois desperta nas crianças a importância da água.

nascente09
Nascente é utilizada para atividades de educação ambiental

Veja mais fotos da visita:


Mais informações e fotos em alta resolução:

Assessoria de Comunicação CBH Rio das Velhas
comunicacao@cbhvelhas.org.br