Uma equipe de técnicos do Instituto Estadual de Florestas (IEF) e membros do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco visitaram, na última quinta-feira (15/12), a sede do Viveiro de Mudas Langsdorff, na Bacia Rio Taquaraçu, a fim de conhecer o modelo de gestão e as técnicas de proteção ambiental adotadas pelo projeto. O objetivo é replicar o modelo de SCBH Rio Taquaraçu, situado na região de abrangência do CBH Rio das Velhas, na instalação de um viveiro de mudas, em Patos de Minas, beneficiando assim os municípios mineiros que integram a Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco.

Segundo Washington Luiz Silva Lima, chefe do Escritório Regional do Instituto Estadual de Florestas no Alto Paranaíba, o órgão público ambiental está aproveitando a estrutura do viveiro que já existe em Patos de Minas e o conhecimento técnico da equipe para ampliar a atuação do equipamento. A eficaz operação do viveiro em Patos de Minas possibilitará outras ações de preservação ambiental como a recomposição de áreas degradas, em especial na Bacia do São Francisco, o atendimento de demandas de recomposição de área ciliar, além de proteção e recuperação de águas e nascentes.

A operação em Patos de Minas trata-se de um projeto piloto que poderá ser expandido para outros viveiros do IEF no Estado. “Queremos produzir três milhões de mudas em cinco anos, entre elas frutíferas e nativas. O objetivo é fazer a conservação e produção de água nas regiões onde as mudas serão utilizadas”, disse o representante do IEF. O viveiro em Patos de Minas integra o projeto “Plantando árvores, produzindo água”, apresentado pelo IEF Regional de Patos de Minas e aprovado pelo Comitê do Rio São Francisco.

Wilson José da Silva, conselheiro do Comitê São Francisco, que também participou da visita, informou que o projeto do viveiro em Patos de Minas ainda está em fase de formalização de Termo de Cooperação Técnica. “Estamos em fase de alinhamento, buscando a melhor forma para a execução do projeto”, destacou Wilson. Segundo o representante do “Velho Chico”, o viveiro de Patos de Minas beneficiará toda a bacia do São Francisco dentro de Minas Gerais, em especial a região do Médio Rio das Velhas.

montagem1_viveiro
Visita ao Viveiro de Mudas Langsdorff

Viveiro de Mudas Langsdorff – O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas (CBH Rio das Velhas), por meio da Agência Peixe Vivo, e a ArcelorMittal Brasil firmaram uma parceria para recuperação e operacionalização do Viveiro de Mudas Langsdorff, em outubro de 2016, visando recuperar nascentes e matas ciliares da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas e mitigar os gases de efeito estufa (GEE) decorrentes das emissões geradas no transporte de produtos da ArcelorMittal Brasil até seus clientes finais. O viveiro entrará em operação com a produção anual de 30 mil mudas, que serão destinadas a projetos de recuperação hidroambiental contratados ou apoiados pelo CBH Rio das Velhas.

O assessor técnico da Agência Peixe Vivo, Thiago Campos, informa que o Viveiro de Mudas Langsdorff, criado em novembro de 2012, foi pioneiro e vem abrindo portas para outros bons projetos. “É um modelo que está sendo bem sucedido. É um espelho para gestão de bacias hidrográficas”.

Ainda segundo o assessor, o viveiro de mudas que será trabalhado em Patos de Minas irá produzir mudas para todas as regiões do São Francisco, incluindo a bacia do Velhas, que é tão importante para Minas Gerais.

montagem2_viveiro
Viveiro de Mudas Langsdorff, em Taquaraçu de Minas. 


Mais informações e fotos em alta resolução:

Assessoria de Comunicação CBH Rio das Velhas
comunicacao@cbhvelhas.org.br