Loading...

A CAMPANHA

O RIO QUE EU CUIDO

Anualmente, o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas (CBH Rio das Velhas) desenvolve uma campanha institucional de comunicação e mobilização social com o objetivo de visibilizar um tema de relevância para o contexto de proteção do rio, e que seja abraçado pela comunidade da bacia hidrográfica de forma geral. 

Em março de 2021, completa-se um ano que o Comitê e suas instâncias reduziram a quase zero a realização de atividades presenciais. A relação entre os conselheiros e demais pessoas diretamente ligadas à gestão das águas na bacia limitou-se às telas e meios digitais. 

Contudo, o rio continua a correr. Vivo.

Em um contexto macro de perdas, limitações, sacrifícios e resiliência, o Rio das Velhas continua sendo o elo de esperança que mobiliza todos esses atores em busca de saúde, equilíbrio, biodiversidade e qualidade de vida.

Com o objetivo de valorizar cada um dos territórios que integram esta bacia hidrográfica, bem como as inúmeras pessoas que estão à frente dos cuidados que este lugar precisa, o CBH Rio das Velhas lança a sua mais nova campanha institucional de comunicação e mobilização social: O rio que eu cuido.

 

Veja a apresentação da campanha

 

A ideia é que, por meio do engajamento das pessoas que aqui habitam, possamos estimular o sentimento de pertencimento pela bacia hidrográfica e por cada um dos seus múltiplos territórios, valorizando fundamentalmente as pessoas que cuidam do rio. Uma forma de continuar próximo das pessoas e, através delas, do próprio Rio das Velhas.

Falar da saúde do Rio das Velhas é falar, fundamentalmente, dos seus vários territórios, dos seus afluentes, das suas nascentes. Não obstante, é também falar das inúmeras pessoas que estão à frente dos cuidados que esta bacia precisa. Pessoas e territórios que não podem ser invisibilizados.

Verdadeiramente, essa é uma grande oportunidade de posicionamento e reverberação da mensagem proposta pelo CBH Rio das Velhas: uma mensagem pela vida do rio, pela vida das pessoas em sua bacia, contra a morte que nos cerca.

23 TERRITÓRIOS

A Unidade Territorial Estratégica (UTE) Nascentes localiza-se no Alto Rio das Velhas e possui uma área de 541,58 km² integrada pelos municípios de Itabirito e Ouro Preto. Nessa UTE, o Rio das Velhas tem 55 quilômetros de comprimento, de suas nascentes no Parque Natural Municipal Cachoeira das Andorinhas, em Ouro Preto, até a barragem de Rio de Pedras, em Acuruí, distrito de Itabirito. Sua área urbana com maior representatividade é Cachoeira do Campo, distrito de Ouro Preto, e seus principais afluentes são: Rio Maracujá, Ribeirão do Funil, Córrego Olaria e Córrego do Andaime. Saiba mais: https://cbhvelhas.org.br/nascentes/

A Unidade Territorial Estratégica (UTE) Rio Itabirito localiza-se no Alto Rio das Velhas e possui uma área de 541,58 km2. É composta pelos municípios de Itabirito, Ouro Preto e Rio Acima. Os principais cursos d’água são o Rio Itabirito, Ribeirão Mata Porcos, Ribeirão do Silva, Córrego do Mango e Ribeirão Bação. Já o Rio das Velhas possui 73 km dentro da área delimitada para a Unidade Territorial. As águas do Rio Itabirito escoam para o Rio das Velhas, contribuindo de maneira significativa para o abastecimento da população da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Saiba mais: https://cbhvelhas.org.br/rioitabirito/

A Unidade Territorial Estratégica (UTE) Águas da Moeda está localizada no Alto Rio das Velhas e possui uma área de 544,32 km2. É composta pelos municípios de Itabirito, Nova Lima, Raposos, Rio Acima e Sabará. Os rios principais da UTE Águas da Moeda são o Rio do Peixe, Ribeirão dos Marinhos, Ribeirão Congonhas, Ribeirão Cardoso, Ribeirão Cristais, Córrego Padre Domingos, Córrego Água Limpa, Córrego Fazenda Velha, Córrego Fechos e o Rio das Velhas, que possui extensão de 42,36 km dentro da área delimitada da Unidade Territorial. Saiba mais: https://cbhvelhas.org.br/aguasdamoeda/ 

A Unidade Territorial Estratégica (UTE) Águas do Gandarela localiza-se no Alto Rio das Velhas e possui uma área de 323,66 km2. É composta pelos municípios de Caeté, Itabirito, Nova Lima, Raposos e Rio Acima. O principal rio da UTE é o Ribeirão do Prata, com extensão de 29,88 km dentro da área delimitada para a Unidade. Outros importantes cursos d’água são o Córrego Manso, Córrego Palmital, Córrego Cortesia e Córrego Mingu. Saiba mais: https://cbhvelhas.org.br/aguasdogandarela/ 

A Unidade Territorial Estratégica (UTE) Ribeirões Caeté-Sabará localiza-se no Alto Rio das Velhas e é composta pelos municípios de Caeté, Raposos, Sabará e Santa Luzia. A Unidade possui uma área de 331,56 km2 e os principais cursos d’água da UTE são o Ribeirão Sabará, Córrego Caeté, Ribeirão Juca Vieira e Ribeirão Gaia. A UTE Ribeirões Caeté-Sabará possui três Unidades de Conservação inseridas parcialmente em seu território, somando aproximadamente 3.142,14 ha de áreas protegidas, o que representa 9,48% da área. Quanto à prioridade, 70% da área da UTE é considerada Especial para conservação. Saiba mais: https://cbhvelhas.org.br/caete-sabara/ 

A Unidade Territorial Estratégica (UTE) Ribeirão Arrudas localiza-se no Alto Rio das Velhas e é composta pelos municípios de Belo Horizonte, Contagem e Sabará. Possui uma área de 228,37 km2. O principal curso d’água é o ribeirão Arrudas e os seus córregos afluentes Barreiro, Jatobá, Ferrugem, Bonsucesso, Cercadinho, Navio Baleia e Taquaril. A UTE Ribeirão Arrudas apresenta 36 Unidades de Conservação parcialmente em seu território, somando aproximadamente 3.914,94 hectares de áreas protegidas, o que representa 17,14% de sua área total. Quanto à prioridade, 39% da área da Unidade é considerada Especial para conservação. É a segunda região com maior concentração populacional na Bacia do Rio das Velhas, seguida apenas da UTE Ribeirão Onça. Saiba mais: https://cbhvelhas.org.br/arrudas/ 

A Unidade Territorial Estratégica (UTE) Ribeirão Onça localiza-se no Alto Rio das Velhas e é composta pelos municípios de Belo Horizonte e Contagem. A Unidade possui uma área de 221,38 km2. Os principais cursos d’água da UTE são o Ribeirão Onça, Ribeirão da Pampulha, Córrego da Ressaca, Ribeirão do Cabral, Córrego São João e Ribeirão Isidora. A UTE Ribeirão Onça possui 25 Unidades de Conservação inseridas parcialmente em seu território, ocupando 3,57% da área total e não possui área considerada prioritária para conservação. A Unidade apresenta a maior concentração populacional da Bacia do Rio das Velhas. Saiba mais: https://cbhvelhas.org.br/onca/ 

A Unidade Territorial Estratégica (UTE) Poderoso Vermelho localiza-se no Médio Alto Rio das Velhas. Composta pelos municípios de Sabará, Santa Luzia e Taquaraçu de Minas, ocupa uma área de 360,48 km2. Os principais rios são o Ribeirão Vermelho, Ribeirão Poderoso, Ribeirão das Bicas e Córrego Santo Antônio. Possui quatro Unidades de Conservação inseridas parcialmente em seu território, ocupando 4,65% de sua área total. Quanto à prioridade, 3% da área da UTE é considerada prioritária para conservação, por estar inserida na Área de Proteção Ambiental Carste de Lagoa Santa. Saiba mais: https://cbhvelhas.org.br/poderosovermelho/ 

 

A Unidade Territorial Estratégica (UTE) Ribeirão da Mata localiza-se no Médio Alto Rio das Velhas. Composta pelos municípios de Capim Branco, Confins, Esmeraldas, Lagoa Santa, Matozinhos, Pedro Leopoldo, Ribeirão das Neves, Santa Luzia, São José da Lapa e Vespasiano, ocupa uma área de 786,84 km². O rio principal é o Ribeirão da Mata, com 80,44 km de comprimento. Outros importantes cursos d’água são o Córrego Boa Vista, Córrego Água Fria, Ribeirão Vau do Palmital, Ribeirão Urubu, Ribeirão das Neves e Ribeirão das Áreas. Saiba mais: https://cbhvelhas.org.br/ribeiraodamata/ 

A Unidade Territorial Estratégica (UTE) Rio Taquaraçu localiza-se no Médio Alto Rio das Velhas. Composta pelos municípios de Caeté, Jaboticatubas, Nova União, Santa Luzia e Taquaraçu de Minas, ocupa uma área de 795,5 km². Os principais cursos d’água da Unidade são o Rio Taquaraçu, Rio Vermelho, Ribeirão Ribeiro Bonito e o Rio Preto. Possui sete Unidades de Conservação inseridas parcialmente em seu território, ocupando 16% da área. 19% da área da UTE é considerada prioritária para conservação, inserida em quatro áreas principais: Espinhaço Meridional, Floresta da Borda Leste do Quadrilátero Ferrífero, Província Cárstica de Lagoa Santa e Quadrilátero Ferrífero. Saiba mais: https://cbhvelhas.org.br/riotaquaracu/ 

 

A Unidade Territorial Estratégica (UTE) Carste localiza-se no Médio Alto Rio das Velhas e possui uma área de 627,02 km2. Nesta UTE, o Rio das Velhas possui 112 km de comprimento e os principais cursos d’água são os córregos do Jaque e Bebedouro, Córrego Samambaia e Córrego da Jaguara. A UTE Carste possui nove Unidades de Conservação inseridas parcialmente em seu território, ocupando 55,78% da sua área total. Quanto à prioridade, 88% da Unidade são considerados prioritários para conservação, sendo divididos entre as áreas “Peter Lund” (35%) e “Província Cárstica de Lagoa Santa” (53%). Saiba mais: https://cbhvelhas.org.br/carste/ 

A Unidade Territorial Estratégica (UTE) Jabó-Baldim localiza-se no Médio Alto Rio das Velhas. Composta pelos municípios de Baldim e Jaboticatubas, ocupa uma área de 1082,10 km2. A Unidade é caracterizada por sua beleza natural, serras, cachoeiras e rios preservados que atraem um número crescente de turistas. O principal rio da Unidade é o Jaboticatubas, com 83,25 km de extensão, e o Córrego Grande ou Trindade, com aproximadamente 30 km de extensão. Esses cursos d’água são afluentes diretos do Rio das Velhas e sofrem intensa pressão devido ao crescimento da ocupação humana nessas áreas. Saiba mais: https://cbhvelhas.org.br/jabobaldim/

A Unidade Territorial Estratégica (UTE) Ribeirão Jequitibá localiza-se no Médio Alto Rio das Velhas, sendo composta pelos municípios de Capim Branco, Funilândia, Jequitibá, Prudente de Morais e Sete Lagoas. Ocupa uma área de 624,08 km². Os principais cursos d’água são o Ribeirão Paiol, Ribeirão Jequitibá, Córrego Cambaúba, Córrego Saco da Vida e Ribeirão do Matadouro. Possui uma Unidade de Conservação inserida parcialmente em seu território, ocupando 0,11% de sua área. Quanto à prioridade, 21% da área é considerada prioritária para conservação, inserida na Província Cárstica de Lagoa Santa. Saiba mais: https://cbhvelhas.org.br/jequitiba/ 

A Unidade Territorial Estratégica (UTE) Peixe Bravo localiza-se no Médio Baixo Rio das Velhas. Composta pelos municípios de Jequitibá, Presidente Juscelino e Santana de Pirapama. Ocupa uma área de 1.169,89 km2. Seus rios principais são o Riacho Riachão, Córrego Vargem Formosa, Córrego da Serra e Córrego Tibuna. Quanto à prioridade, 328 ha da área são considerados prioritários para conservação, inseridos na área denominada São Francisco e Grandes Afluentes. Saiba mais: https://cbhvelhas.org.br/peixebravo/ 

A Unidade Territorial Estratégica (UTE) Ribeirão Tabocas e Onça localiza-se no Médio Baixo Rio das Velhas. Composta pelos municípios de Araçaí, Cordisburgo, Curvelo, Jequitibá e Paraopeba, ocupa uma área de 1.223,26 km2. Seus principais cursos d’água são o Ribeirão da Onça, Ribeirão Tabocas, Ribeirão do Melo e Córrego Barro Vermelho. A UTE Ribeirão Tabocas e Onça possui uma Unidade de Conservação inserida em seu território, ocupando 73,14 ha, chamada Monumento Natural Peter Lund. Quanto à prioridade, 14% da área é considerada prioritária para conservação, que se refere às áreas denominadas Caverna do Salitre e Paraopeba. Saiba mais: https://cbhvelhas.org.br/tabocaseonca/ 

A Unidade Territorial Estratégica (UTE) Santo Antônio-Maquiné localiza-se no Médio Baixo Rio das Velhas. Composta pelos municípios de Curvelo e Inimutaba, ocupa uma área de 1.336,82 km². Os principais cursos d’água da região são o Ribeirão Maquiné, com extensão de 90,45 km, Córrego Santo Antônio, com aproximadamente 25 km passando pela cidade de Curvelo, e o Córrego Riacho Fundo. Saiba mais: https://cbhvelhas.org.br/ute-santo-antonio-maquine/ 

A Unidade Territorial Estratégica (UTE) Rio Cipó localiza-se no Médio Baixo Rio das Velhas e é composta pelos municípios de Baldim, Congonhas do Norte, Jaboticatubas, Presidente Juscelino, Santana de Pirapama e Santana do Riacho. A Unidade ocupa uma área de 2.184,86 km. Caracteriza-se por ser uma belíssima região, com cachoeiras e lugares com esplêndidas formações rochosas. O Rio Cipó é o contribuinte de melhor qualidade de água e maior diversidade de peixes. A Unidade tem como principais rios o Cipó, com 252,12 km de extensão, o Ribeirão Soberbo, Córrego da Lapinha, Córrego Rio Preto, Córrego Mata Capim e Rio Parauninha. Saiba mais: https://cbhvelhas.org.br/riocipo/ 

A Unidade Territorial Estratégica (UTE) Rio Paraúna localiza-se no Médio Baixo Rio das Velhas e é composta pelos municípios de Conceição do Mato Dentro, Congonhas do Norte, Datas, Gouveia, Monjolos, Presidente Juscelino, Presidente Kubitschek, Santana de Pirapama e Santo Hipólito. A Unidade ocupa uma área de 2.337,61km². O rio principal é o Paraúna, que com seus 150,23 km de extensão é considerado um dos mais importantes para a revitalização do Rio das Velhas. Possui duas Unidades de Conservação inseridas em seu território, ocupando 14,9% da área total da UTE. 90% da área da UTE é considerada prioritária para conservação. Saiba mais: https://cbhvelhas.org.br/rioparauna/ 

A Unidade Territorial Estratégica (UTE) Ribeirão Picão localiza-se no Médio Baixo Rio das Velhas. É composta pelos municípios de Corinto, Curvelo, Inimutaba, Morro da Garça e Santo Hipólito. Ocupa uma área de 1.716,59 km² e o rio principal é o Ribeirão Picão, com 80,25 km de extensão. A UTE Ribeirão Picão não possui Unidades de Conservação inseridas em seu território. 8% da área da UTE é considerada prioritária para conservação. Saiba mais: https://cbhvelhas.org.br/ribeiraopicao/ 

A Unidade Territorial Estratégica (UTE) Rio Pardo localiza-se no Médio Baixo Rio das Velhas. É composta pelos municípios Augusto de Lima, Buenópolis, Diamantina, Gouveia, Monjolos e Santo Hipólito. Ocupa uma área de 2.235,13 km² e detém uma população de 6.830 habitantes. A região é caracterizada por sua beleza natural, serras, cachoeiras e rios preservados, atraindo um número crescente de turistas e sendo responsável por uma recarga de vida e águas limpas para o Rio das Velhas. Os rios principais da Unidade são o Rio Pardo Pequeno e o Rio Pardo Grande. Saiba mais: https://cbhvelhas.org.br/riopardo/ 

A Unidade Territorial Estratégica (UTE) Rio Curimataí localiza-se no Baixo Rio das Velhas e é composta pelos municípios de Augusto de Lima, Buenópolis e Joaquim Felício. Ocupa uma área de 2.235,13 km² e detém uma população de 6.830 habitantes. Rica em belezas naturais, possui várias cachoeiras, águas termais e é uma das portas de entrada para o Parque Nacional das Sempre-Vivas. Os rios principais da Unidade são o Rio Curimataí, Rio Curimataizinho, Córrego de Pedras e Córrego Riachão. Possui sete Unidades de Conservação inseridas em seu território. Saiba mais: https://cbhvelhas.org.br/riocurimatai/ 

A Unidade Territorial Estratégica (UTE) Rio Bicudo localiza-se no Baixo Rio das Velhas e é composta pelos municípios de Corinto e Morro da Garça. Ocupa uma área de 2.274,48 km² e detém uma população de 20.813 habitantes. O principal rio é o Bicudo, com 148,76 quilômetros de extensão. Os principais tributários do Rio Bicudo são: Córrego da Lagoa, Córrego Jenipapo, Riacho do Morro, Riacho das Vacas, Ribeirão Santana e Córrego da Capivara. Saiba mais: https://cbhvelhas.org.br/riobicudo/ 

A Unidade Territorial Estratégica (UTE) Guaicuí localiza-se no Baixo Rio das Velhas e é composta pelos municípios de Corinto, Lassance, Pirapora e Várzea da Palma. A Unidade ocupa uma área de 4.136,93 km² e detém uma população de 31.581 habitantes. Nesta Unidade o Rio das Velhas possui 153,66 km de extensão. Outros cursos d’água relevantes são o Ribeirão Bananal, Ribeirão do Corrente, Ribeirão do Cotovelo e Córrego do Vinho. Destaca-se a presença da Serra do Cabral, divisor de águas entre as UTE Guaicuí e a UTE Rio Curimataí. É nessa Unidade que se localiza a foz do Rio das Velhas, no Rio São Francisco. Saiba mais: https://cbhvelhas.org.br/guaicui/ 



A Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas possui 23 Unidades Territoriais Estratégicas (UTEs), que são grupos de bacias ou Sub-bacias hidrográficas contíguas. As UTEs estabeleceram limites territoriais que direcionam a elaboração e implantação de programas e estudos regionais, a aplicação descentralizada do recurso da Cobrança pelo Uso da Água, a atualização do Plano Diretor e, ainda, a redefinição dos limites territoriais dos Subcomitês. A proposta permitiu a descentralização e a ampla participação social ao longo da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas.

São ao menos 23 Razões para Acreditar que a revitalização da bacia é possível!

O RIO QUE EU CUIDO: HISTÓRIAS

Conheça histórias de pessoas que, em cada um dos 23 territórios da bacia do Rio das Velhas, lutam para que tenhamos um ambiente melhor:

Mulheres na luta pelo território: Zita Ruas Rodrigues

07/03/2018 16:58

A história de Zita Ruas Rodrigues é marcada pela luta por uma das questões mais básicas e elementares para qualquer cidadão: o direito à terra. [...]

LEIA

Parque Ciliar do Ribeirão Onça pode transformar a região com menor índice de qualidade de vida em BH

06/07/2021 16:35

Um compromisso feito pelo prefeito Alexandre Kalil. Um sonho para as famílias que vivem na região. Planejado para ser um dos maiores parques de [...]

LEIA

Mulheres na luta pelo território: Adeliane Margarida Silva

08/03/2018 11:41

No dia em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, vamos contar a história da jovem Adeliane Margarida Silva. Nascida e criada na [...]

LEIA

Momento Rio das Velhas: Riachão de Coração

15/06/2021 14:47

Das veredas da majestosa Serra do Cabral, no Baixo Rio das Velhas, ele desce, percorre e abastece com água limpa o município de Buenópolis. Seu [...]

LEIA

Revista Velhas nº 12: Narradores da natureza

28/12/2020 12:05

Histórias de ribeirinhos e do Rio das Velhas se transformam em podcasts “Era bonito aquele vulcãozinho soltando água em qualquer beiradinha de [...]

LEIA

“O rio que eu cuido”: Mariana Morales e Rogério Sepúlveda contam o que os levou a cuidar das águas

14/06/2021 15:41

Seguindo a série de entrevistas “O rio que eu cuido”, Mariana Morales e Rogério Sepúlveda entrevistaram um ao outro e contaram como ingressaram [...]

LEIA

NOTÍCIAS

Momento Rio das Velhas: Programa de Conservação e Produção de Água

06/07/2021 15:34

O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas (CBH Rio das Velhas) lançou, em junho, o seu Programa de Conservação e Produção de Água. A [...]

LEIA

Momento Rio das Velhas: Pagamento por Serviços Ambientais em Itabirito

24/06/2021 16:46

O município de Itabirito, no Alto Rio das Velhas, instituiu, no primeiro semestre deste ano, o seu Programa Municipal de Pagamento por Serviços [...]

LEIA

Momento Rio das Velhas: Riachão de Coração

15/06/2021 14:47

Das veredas da majestosa Serra do Cabral, no Baixo Rio das Velhas, ele desce, percorre e abastece com água limpa o município de Buenópolis. Seu [...]

LEIA

Momento Rio das Velhas: UTE Ribeirões Caeté-Sabará

24/05/2021 17:00

Em março de 2021, o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas (CBH Rio das Velhas)  lançou a campanha de comunicação e mobilização social O [...]

LEIA

Novo site reúne conteúdos da campanha O rio que eu cuido

19/05/2021 15:54

Em março deste ano, o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas (CBH Rio das Velhas) lançou a campanha de comunicação e mobilização social O [...]

LEIA

Momento Rio das Velhas: Nascentes Urbanas

17/05/2021 17:15

No meio urbano é raro encontrar alguém que de fato se preocupe com as nascentes ou imagine que elas existam dentro das cidades. As paisagens [...]

LEIA

Vídeos

Podcast

PARTICIPE

Poste fotos ou vídeos do rio que você cuida no Instagram e Facebook.
Use a hashtag #orioqueeucuido e vamos mostrar que, mesmo em tempos de pandemia, o rio continua vivo – seja o Velhas ou algum afluente da bacia.

86 2
35 0
57 0
15 0
52 3
27 1
15 0
31 0
51 0
126 6
103 11
]