Alicerce de uma gestão coletiva e participativa

Texto: Ohana Padilha

A educação em sentido amplo significa a transmissão de conhecimentos de uma comunidade, o desenvolvimento das capacidades intelectuais e de instrução de formas e técnicas. Já a mobilização é o ato de mover e movimentar, de colocar em ação. Desse modo, as duas ações quando unidas somam forças e possuem a característica de envolver, sensibilizar, incentivar e incluir os mais diversos públicos em prol de algum objetivo específico.

Nesse contexto, a mobilização social do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas (CBH Rio das Velhas) exerce um papel de destaque na organização e na articulação, possibilitando a participação dos diferentes segmentos nas decisões e na defesa dos interesses em prol da Bacia. Além de fortalecer a construção de planos, estratégias e ações para as questões da gestão de recursos hídricos e a elaboração de formas e atividades de capacitação dos agentes. A atividade de educação aliada à mobilização visa transmitir aos participantes os conhecimentos adquiridos, objetiva a instrução da comunidade da Bacia do Rio das Velhas para a preservação e conservação do meio ambiente e permite a troca de conhecimentos e experiências dos mais diversos agentes da Bacia.

No cenário atual de escassez hídrica, a equipe de Mobilização vem trabalhando na promoção da interação entre os mais diversos atores ligados ao Rio das Velhas com base no entendimento de que só por meio da construção coletiva de um modelo de gestão dos recursos hídricos pode haver uma mudança efetiva nas questões hídricas atuais. Para o diálogo entre os envolvidos (empresas, estado, usuários de água, movimentos sociais), a equipe viabiliza seminários,palestras, encontros, reuniões e visitas de campo a fim de conscientizar, ensinar e discutir maneiras de reverter o cenário de escassez. “A mobilização da sociedade é essencial, pois nos permite fazer parte da organização para que as pessoas não fiquem somente como espectadores. Elas devem agir, participar das discussões, interagir sobre as leis existentes, contribuir com seus conhecimentos e devem participar do processo para que as ações sejam mais eficazes”, afirma Derza Nogueira, mobilizadora social do CBH Rio das Velhas.

A equipe também desenvolve atividades de organização, apoio e acompanhamento dos subcomitês, além da mobilização relacionada ao Plano Diretor e a capacitação continuada para os membros do Comitê.

De acordo com dados do CBH Rio das Velhas, a participação social é crescente e a expectativa é de que o envolvimento dos agentes da Bacia continue a
aumentar.

revista_3_educacao_e_mobilizacao_social_quadro

Geoprocessamento

Dentre as atividades da Mobilização está também o Geoprocessamento, atividade que consiste no tratamento e uso de informações geográficas e de dados georreferenciados por meio da utilização de tecnologia de softwares de coleta, tratamento, manipulação e apresentação das informações espaciais. Dessa maneira é possível integrar informações diversas, tais como vegetação, clima, percurso de rios, localização de nascentes, vazões, questões de saneamento básico, entre outras. “O mapeamento regional é importante para ampliar o entendimento dos diversos fatores presentes nos espaços da Bacia e da interligação dos mesmos. Assim, com a ajuda da espacialização cartográfica podemos aprimorar a gestão dos recursos hídricos”, explica Izabel Nogueira, responsável pelas atividades de Geoprocessamento do CBH Rio das Velhas.

Desde abril de 2013, foram realizados cerca de 480 mapas relacionados aos subcomitês, visitas técnicas, análises regionais, mapas dos municípios que compõem a Bacia do Rio das Velhas, entre outros.

montagem2

Conheça a equipe de Mobilização

Coordenada pela Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep), pelo professor Tarcísio Márcio Magalhães Pinheiro, a equipe de Educação e Mobilização Social presta serviços ao CBH Rio das Velhas, desde abril de 2013, e atualmente é composta por seis geógrafos, dois gestores ambientais e quatro estagiários das áreas de Geografia e Biologia.

Derza Aparecida Costa Nogueira, acompanha as atividades dos subcomitês Rio Taquaraçu, Ribeirão da Mata, Carste e Curimataí.

Dimas Côrrea, responsável pela administração e logística do Comitê, acompanha as atividades da Diretoria e dá suporte aos subcomitês, câmaras técnicas e grupos de acompanhamento.

Élio Domingos Neto, acompanha as atividades dos subcomitês Ribeirão Jequitibá, Ribeirão Caeté/Sabará, Guaicuí e Poderoso Vermelho.

Jeam Alcântara, acompanha as atividades dos subcomitês Rio Cipó, Nascentes, Rio Itabirito e Águas do Gandarela, além da câmera técnica de Outorga e Cobrança

Izabel Gonçalves Nogueira, responsável pelas atividades de Geoprocessamento.

Izabella Resende, acompanha as atividades dos subcomitês Arrudas, Onça e Águas da Moeda, além da câmara técnica de Planejamento, Projetos e Controle.

Politácito Ricardo de Oliveira, acompanha as atividades dos subcomitês Rio Bicudo, Rio Paraúna e Santo Antônio/Maquiné, além das câmaras técnicas de Educação, Comunicação e Mobilização; e Institucional e Legal.

montagem3
Capacitações, treinamentos, organização de eventos e apoio aos Subcomitês são atribuições da equipe de Mobilização

Leia a revista na versão digital: