Na última quarta-feira (22), a Escola Municipal Jardim Felicidade – que teve uma nascente revitalizada pelo projeto de Valorização das Nascentes Urbanas na Bacia do Ribeirão Onça, promovido pelo Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas (CBH Rio das Velhas) – recebeu o Selo BH Sustentável: Boas Práticas de Sustentabilidade Ambiental da prefeitura de Belo Horizonte.

A iniciativa, da Secretaria Municipal de Meio Ambiente em parceria com a Secretaria Municipal de Educação e a Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil, buscou incentivar a realização de trabalhos que contribuem para a melhoria das condições ambientais, além de valorizar os profissionais que desenvolvem atividades exemplares, criativas e inovadoras na escola. Além da Escola Jardim Felicidade, outras 49 instituições da Rede Municipal de Educação de Belo Horizonte foram premiadas.

Déborah Junqueira, diretora da escola, lembrou que o bairro – homônimo, localizado na região Norte da capital – sofre com graves problemas ambientais, especialmente ligados ao lixo e o despejo de esgoto no Córrego Tamboril, e que isso sempre atrapalhou na questão do vínculo afetivo dos alunos com o bairro e com a própria escola. “Ganhar representa não só o coroamento desse trabalho, que é desenvolvido desde 2015 com o Comitê e outras instituições do bairro que se preocupam com as questões ambientais, como também atesta que estamos no caminho certo da emancipação e empoderamento dos alunos”.

 Educadores da instituição marcaram presença no evento que premiou a Escola Municipal Jardim Felicidade.

Marcio Lima, que foi coordenador do Subcomitê Ribeirão Onça e que leciona na instituição de ensino, destacou que, em meio a tudo isso, a escola terá um importante papel enquanto espaço aglutinador para oficinas que irão redefinir o projeto da prefeitura de Belo Horizonte para o Córrego Tamboril. “É um avanço no sentido que a comunidade será ouvida”, frisou.

A revitalização da nascente localizada na Escola Municipal Jardim Felicidade foi concluída em março deste ano e contou com limpeza e plantio de mudas e grama, contenção de barranco em madeira, construção e melhoria dos reservatórios de água e das bicas. Além disso, foi desenvolvido junto à comunidade um trabalho de mobilização em instituições locais e um grafite no muro da escola, onde fica a nascente, para fortalecer e valorizar a preservação da fonte.

A premiação do Selo BH Sustentável: Boas Práticas de Sustentabilidade Ambiental ocorreu durante a Mesa Redonda que debateu as ações socioambientais, processos educativos e a importância dessas iniciativas na escola e na comunidade, dentro da programação da I Semana da Educação Integral.

Projeto de Valorização das Nascentes Urbanas na Bacia Hidrográfica do Ribeirão Onça

O Projeto de Valorização das Nascentes Urbanas na Bacia Hidrográfica do Ribeirão Onça foi financiado pelo CBH Rio das Velhas com os recursos da cobrança pelo uso da água da bacia. A ação teve como foco a execução de intervenções em nove nascentes pré-selecionadas, bem como a promoção de atividades de educação ambiental e a realização de campanhas de amostragem para conhecimento da qualidade das águas nas nascentes.

 A revitalização da nascente localizada na Escola Municipal Jardim Felicidade contou com limpeza e plantio de mudas e grama, contenção de barranco em madeira, construção e melhoria dos reservatórios de água e das bicas.

Ribeirão Onça

O Ribeirão Onça é um afluente da margem esquerda do Rio das Velhas e tem como principais afluentes o córrego Cachoeirinha e o Ribeirão Izidora que recebe os impactos diretos da ocupação de Venda Nova e região norte de Belo Horizonte. A Bacia Hidrográfica do Ribeirão do Onça ocupa parte da cidade de Contagem e da região norte de Belo Horizonte é considerada a que mais polui o Rio das Velhas. Sua bacia abriga mais de um milhão de pessoas e em parte dos 36,8 km de extensão do Ribeirão, tem suas margens ocupadas irregularmente, provocando a degradação ambiental ao longo do curso d’água.

Juntamente com o Ribeirão Arrudas, o Onça encontra-se na região mais populosa da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas, em Belo Horizonte, Contagem e Sabará. Os ribeirões Onça e Arrudas são responsáveis pela drenagem da maior parte dos esgotos da Região Metropolitana de Belo Horizonte e sofrem com a diminuição das áreas de drenagem natural e ocupação desordenada de encostas e fundos de vale, devido a sua intensa ocupação.


Mais informações:

Assessoria de Comunicação CBH Rio das Velhas
comunicacao@cbhvelhas.org.br