Foi realizada, entre os dias entre os dias 01 e 04 de agosto, nos municípios de Buenópolis, Augusto de Lima e Joaquim Felício, a Expedição Serra do Cabral, com o objetivo de mapear, classificar, e fazer o diagnóstico das nascentes dos principais contribuintes do Rio Curimataí, que é afluente direto do Rio das Velhas. O evento foi uma realização do Comitê de Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas (CBH Rio das Velhas), em parceria com o Subcomitê do Rio Curimataí, a gerência do Parque Estadual Serra do Cabral, e a Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes).

Nascente é o local de primeira importância na bacia, pois marca a passagem da água do subterrâneo para a superfície. Esse fluxo de água possui um papel fundamental na manutenção do ciclo hidrológico e do meio ambiente. Hugo Lana, coordenador-geral do Subcomitê Rio Curimataí, falou sobre a importância das águas da Serra do Cabral. “A Serra é uma área que possui muitas nascentes e as mesmas alimentam os afluentes do Rio Curimataí. Com a recuperação e preservação dessas nascentes haverá uma melhoria da qualidade da água do córrego”, destaca.

Veredas e cachoeiras no alto da Serra do Cabral – Fotos: Ohana Padilha e Michelle Parrom (Acervo: CBH Rio das Velhas / TantoExpresso)

A Serra faz parte da Cordilheira do Espinhaço e é um divisor de águas entre os rios das Velhas e Jequitaí, ambos afluentes da margem direita do Rio São Francisco. O local também se destaca pelo grande número de sítios arqueológicos pré-históricos existentes, já que na Serra, há cerca de 350 anos, viveram povos indígenas nômades. “A expedição tem o intuito de tentar melhorar e reverter o cenário de degradação da Serra do Cabral, esperamos que as pessoas se conscientizem sobre a preservação, a importância natural e a recuperação da Serra”, ressaltou a coordenadora de usuários de água do Subcomitê Rio Curimataí e moradora da região, Kátia Cristina, sobre o cenário de impacto ambiental na localidade.

Nesse contexto, a professora da Unimontes, Isla Azevedo, que integrou a equipe técnica da expedição, falou sobre a importância da vegetação da Serra do Cabral. “A caracterização da vegetação tem o objetivo de verificar a condição do entorno das nascentes. Analisamos, durante a expedição, se havia cobertura, veredas associadas e áreas degradadas. As condições naturais são primordiais para a preservação e recuperação das nascentes”, explica.

Assista ao vídeo documentário da Expedição

As veredas são ambientes extremamente importantes para qualquer região, pois são consideradas como caixas d´água, já que é o local onde acumula a água de chuva que cai no Cerrado. Maria das Dores Veloso, também professora da Unimontes, participou da expedição a fim de verificar a situação desse tipo de vegetação na Serra do Cabral. “Encontramos aqui várias veredas associadas às nascentes e também isoladas. Isso é muito importante para a qualidade das nascentes”, informou. As veredas exercem papel fundamental na manutenção da fauna do cerrado, pois atuam como local de pouso para a avifauna, de refúgio, de abrigo, de fonte de alimento e de local de reprodução também para a fauna terrestre e aquática.

Já a mobilizadora social, Derza Nogueira, lembrou que a ideia da realização da expedição surgiu a partir de demanda dos moradores da região, preocupados com a escassez hídrica. “As pessoas estão atentas às mudanças climáticas que vêm diminuindo o volume da água de chuva”, relata. Derza ainda completa que a partir das informações e dados coletados durante a atividade, o Subcomitê Rio Curimataí terá uma base para o planejamento das próximas ações, “aqui é o início de trabalho que será levado para toda a Bacia do Rio das Velhas”, finalizou.

Equipe da Expedição em visita às nascentes – Fotos: Ohana Padilha  (Acervo: CBH Rio das Velhas / TantoExpresso)

Unidade Territorial Estratégica (UTE) Rio Curimataí – A Unidade Territorial Estratégica (UTE) Rio Curimataí, localiza-se no Baixo Rio das Velhas, é composta pelos municípios Augusto de Lima, Buenópolis e Joaquim Felício. A Unidade ocupa uma área de 2.235,13 km² e detém uma população de 6.830 habitantes. A região é caracterizada por sua beleza natural, serras, cachoeiras e rios preservados, atraindo um número crescente de turistas e sendo responsável por uma recarga de vida e águas limpas para o Rio das Velhas. Os rios principais da Unidade são Rio Curimataí, Rio Curimataizinho, Córrego de Pedras e Córrego Riachão. Para mais informações e vídeo sobre a UTE e Subcomitê Rio Curimataí acesse cbhvelhas.org.br/riocurimatai

Confiram as fotos da Expedição

Expedição Serra do Cabral - Agosto 2016Fotos: Ohana Padilha (Acervo: CBH Rio das Velhas / TantoExpresso) – Para compartilhar pelo Facebook CLIQUE AQUI

 
 

Mais informações:

Assessoria de Comunicação CBH Rio das Velhas
comunicacao@cbhvelhas.org.br