Com o intuito de conscientizar a população sobre os benefícios que o tratamento de esgoto traz para a saúde e para o meio ambiente, o Subcomitê Carste, a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (COPASA), a Prefeitura de Pedro Leopoldo, ONG Lagoa Viva e Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) realizaram no dia 28 de abril na Escola Estadual Magno Claret, um encontro com a comunidade da Lagoa Santo Antônio, no município de Pedro Leopoldo.

O coordenador-geral do Subcomitê Carste, Daniel Duarte explica que o objetivo do encontro é de esclarecer dúvidas e de criar vínculo entre a Copasa e a comunidade para uma melhor mobilização na localidade. Além de ser uma oportunidade de informar sobre os benefícios do tratamento de esgoto e de tirar dúvidas sobre o custo para a manutenção do serviço.

Histórico

Com capacidade para tratar até 120 litros de esgoto por segundo, a ETE que está em funcionamento desde novembro de 2015, vai tratar o esgoto de Pedro Leopoldo, dos distritos de Dr. Lund e Industrial e dos bairros Lagoa de Santo Antônio, Teotônio Batista de Freitas, Parque Andyara, Maria Cândida e também do município de Confins.

Além de construir a ETE, a Copasa implantou em Pedro Leopoldo seis elevatórias, sendo duas no bairro do Santo Antônio para bombear o esgoto dos bairros Andyara, da Lua e Novo Campinho, três nas imediações do Centro para elevar o esgoto da região e do bairro Santo Antônio da Barra e uma no bairro Vera Cruz. Também foram implantadas mais de 50 mil metros de redes coletoras e interceptoras.

Atualmente, a Copasa está implantando 6,4 quilômetros de redes coletoras e interceptoras e cinco novas elevatórias que vão propiciar a interligação de mais de 3 mil imóveis aos serviços e à ETE.

ETE - Pedro Leopoldo
Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), em Pedro Leopoldo (MG)

Nesse contexto, Mércia Salém da Secretária Municipal de Saúde, alerta a comunidade que o tratamento do esgoto é uma questão de saúde pública, pois o esgoto que não é tratado contamina o solo e as pessoas “o despejo de esgoto sem tratamento nos rios, lagos e mares afeta a qualidade das águas e se torna um problema ambiental, social e de saúde pública”.

Além disso, durante a apresentação, Mércia listou algumas doenças que podem ser agravadas com o contato direto do esgoto, são elas: poliomelite, hepatite A, giardíase, disenteria amebiana, diarréia por vírus, febre tifóide, febre paratifóide, diarréias e disenterias bacterianas (como a cólera), ancilostomíase (amarelão), ascaridíase (lombriga), teníase, cisticercose, filariose (elefantíase), leptospirose, esquistossomose, dentre outras.

Finalizando a apresentação, Mércia afirma que cidades que investem em saneamento básico ao longo dos anos tem um gasto menor de 40 vezes em saúde do que nas cidades que não possuem saneamento.

Rubens de Azevedo da Secretaria Municipal de Obras fala como é prejudicial o uso de fossas para o armazenamento do esgoto doméstico, método pelo qual é bastante utilizado pela comunidade que mora às margens da Lagoa Santo Antônio.

A fossa negra consiste na escavação feita sem revestimento, onde os dejetos caem diretamente em contato com a terra. E quando se decompõem, esses dejetos são absorvidos pelo solo, prejudicando a saúde da população e contaminando o meio ambiente.

Nesse cenário, o sistema implantado pela Copasa tem o objetivo de captar e tratar todo o esgoto produzido pelas residências situadas às margens da Lagoa, evitando o despejo in natura dos efluentes em suas águas, o que tem causado sérios danos ambientais numa região de importante preservação ecológica.

“Para cada R$ 1 investido em esgoto economiza-se R$ 4 em saúde”, afirma José Cláudio Ramos da Copasa. Nesse contexto, José Cláudio salienta a importância da ligação da rede de esgoto domiciliar para o sistema de coleta e transporte à ETE.

Além disso, explicou o procedimento de tratamento do esgoto, informou dados técnicos da capacidade da ETE e informou à comunidade o que deve ser feito para o bom funcionamento da ETE.

Para a ligação dos imóveis residenciais na rede de esgoto, José Claudio pede a colaboração da comunidade local “o esgotamento é a solução do problema de fossa. Fossa não é solução”. E informa que agentes da Copasa irão visitar as casas e conscientizar as pessoas sobre a importância do esgotamento sanitário.

Finalizando o encontro, José Cláudio esclareceu dúvidas dos presentes e informou que nesse momento não haverá a cobrança de taxa para a ligação domiciliar à rede de esgoto.

Veja as fotos do encontro

“O evento foi algo interessante, pois fiquei sabendo que a limpeza das fossas são de responsabilidade da Prefeitura e não da Copasa, como achava. E fiquei sabendo que os dejetos vão para uma estação de tratamento, e antes achava que, saia da minha casa direto para o rio”, concluiu o estudante Deivison Carlos, da E.E. Magno Claret.

Para Conceição Lima, professora de geografia na E.E. Magno Claret e da ONG Lagoa Viva, a implantação da rede de esgoto é uma grande conquista “a rede de esgoto é um dos grandes anseios da ONG Lagoa Viva já que estamos em uma região cárstica, pois o sistema de fossas nessa região faz com que o subsolo seja poluído com mais rapidez e essa poluição acaba contaminando a Lagoa. Saber que não haverá mais fossas no entorno da Lagoa é um grande ganho”.

Na oportunidade, Conceição falou sobre o projeto “Muros Inteligentes” que é desenvolvido pela ONG, os Muros Inteligentes são pontos de entrega voluntária de recicláveis “é um trabalho que tem a proposta de fortalecer a coleta seletiva e que diminui a incidência de lixo jogado nas ruas e consequentemente na Lagoa”, afirma.

Entenda alguns termos:

O que é esgoto?

O esgoto é a água que foi usada nas atividades humanas e é classificado em doméstico (efluentes gerados em uma residência) e não doméstico (atividades produtivas ou de processos de industriais).

Quando o esgoto é lançado a céu aberto ou não é coletado adequadamente, ele polui o solo e o subsolo, contamina as águas e é foco de transmissão de doenças.

O que é Saneamento Básico?

Saneamento é o conjunto de medidas adotadas numa determinada região para preservar ou modificar as condições do ambiente. O objetivo do saneamento é de prevenir doenças e promover a qualidade de vida, o bem-estar da população e a preservação ambiental.

Integram o saneamento básico: o abastecimento de água potável, a coleta e o tratamento de esgoto, a coleta e a destinação correta do lixo, a coleta e a destinação das águas de chuva.

O que é Estação de Tratamento de Esgoto (ETE)?

É um sistema que tem o objetivo de tratar o esgoto. Nesse sistema, há a remoção das cargas poluentes do esgoto, devolvendo ao ambiente o produto final, efluente tratado, de acordo com os padrões exigidos pela legislação ambiental.

O que é o Carste?

O Carste é um tipo de relevo formado pelo efeito corrosivo da água sobre rochas solúveis como o calcário, quartzitos e basaltos. O efeito das águas sobre estes tipos de rocha propicia o aparecimento de características físicas muito peculiares, tais como, paredões rochosos sulcados e corroídos ao longo do tempo, cavernas subterrâneas, lagoas, sumidouros e depressões, que possuem rico acervo paleontológico e arqueológico.

O que é fossa negra?

Fossa negra é um buraco no solo, coberto ou não, para onde são direcionados a água e os dejetos. A fossa negra permite que seu conteúdo infiltre no solo, o que contamina o mesmo e as águas do subsolo.

Acesse para entender os passos para a ligação de esgoto.


Mais informações e fotos em alta resolução:

Assessoria de Comunicação CBH Rio das Velhas
comunicacao@cbhvelhas.org.br