Nesta terça-feira (03/01), foi realizada, na sede da Agência Peixe Vivo, a primeira reunião de trabalho para elaboração das diretrizes do “SIGA Rio das Velhas”. O projeto tem o objetivo de construir uma plataforma tecnológica que realize a gestão do conhecimento produzido, permitindo o acesso de forma abrangente e colaborativa ao conjunto de informações a respeito da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas.

Participaram da reunião representantes do CBH Rio das Velhas, da Agência Peixe Vivo, do Instituto Mineiro de Gestão dos Recursos Hídricos, Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, além da equipe da empresa K2, vencedora do processo licitatório para construção do sistema.

De acordo com o presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas, Marcus Vinícius Polignano, o objetivo do CBH Rio das Velhas é realizar o bom gerenciamento de suas informações. “Estamos tentando levantar as lacunas de informações e adequar, em uma modelagem tecnológica, uma base completa de informações. Vamos criar um sistema que permita à sociedade o fácil acesso ao nosso banco de dados e que nos permita, por meio da informação acumulada, a tomada de decisão” destacou.

Segundo o diretor técnico da Agência Peixe Vivo, Alberto Simon, o SIGA será, além de uma plataforma tecnológica, também uma ferramenta de gestão. “O Comitê está desenvolvendo o seu sistema de informação por meio de uma plataforma nas nuvens, composta de módulos essenciais, sendo capaz de construir mapas temáticos. Vamos dar um zoom, priorizando as sub-bacias do Velhas, podendo enxergar e trabalhar em um universo regional”, disse.

SIGA – O Sistema de Informações do Rio das Velhas objetiva suportar processos de planejamento gestão e controle, subsidiar a tomada de decisão e a análise e diagnostico das condições dos recursos hídricos. Segundo o diretor da Empresa K2, Alfredo Líbano, a construção da plataforma SIGA é um sistema dinâmico e vai além de um simples sistema de computador.
“O sistema irá abranger a integração de processos e conhecimentos vinculados à gestão dos recursos hídricos. O desenvolvimento será feito em conjunto com os diversos atores responsáveis pelos processos de gestão hídrica como usuários de água, poder público e sociedade civil”, destacou Líbano.

Pretende-se que o Sistema de Informações armazene e disponibilize as informações da bacia, com análise de informações secundárias já cadastradas, além da apresentação de um prognóstico a partir da identificação dos cenários, de acordo com a evolução dos diversos indicadores que impactam a disponibilidade hídrica.

Durante a reunião, foi sugerida a criação de um grupo técnico de acompanhamento, coordenado pela Câmara Técnica de Planejamento, Projetos e Controle (CTPC), a fim de validar as ações e decisões. O grupo será composto por representantes do Igam, Semad, Comitê e Agência Peixe Vivo.

Objetivos iniciais da plataforma:

. Armazenar, publicar e manter os dados produzidos na elaboração do Plano Diretor de Recursos Hídricos da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas;
. Armazenar, publicar e manter os dados de acompanhamento das outorgas
de uso da água, emitidos para a bacia do Rio das Velhas;
. Armazenar, publicar e manter os dados geográficos da bacia, permitindo a construção e aplicação de modelos de análise espacial;
. Permitir a gestão dos conteúdos dos usuários e das ferramentas que compõem a plataforma;
. Permitir a difusão de informações e conteúdos por meio de uma sala de
situação que será futuramente implantada pelo CBH Rio das Velhas.

Veja as fotos da reunião:

<a href="https://flic.kr/s/aHskLgEKWM" target="_blank">Click to View</a>

Mais informações e fotos em alta resolução:

Assessoria de Comunicação CBH Rio das Velhas
comunicacao@cbhvelhas.org.br