Em Raposos, município pertencente à Região Metropolitana de Belo Horizonte e integrante da UTE (Unidade Territorial Estratégica) Águas do Gandarela, a relação de seus moradores com o Ribeirão do Prata é dúbia: por um lado, o rio – que atravessa parte da cidade até desaguar no Rio das Velhas – é fonte secular de lazer, pertencimento e integração com a natureza; por outro, causa medo, especialmente aos ribeirinhos, em função das regulares enchentes que por lá acontecem, dado os já conhecidos problemas de ocupação urbana, assoreamento, ausência de mata ciliar e outros.

É nesta região, conhecida pela presença e atuação de fortes movimentos da sociedade civil, que atua a Casa de Gentil – Culturas e Convívio, ONG (Organização Não Governamental) sem fins lucrativos que tem como objetivos principais a valorização da cultura e a contribuição ao desenvolvimento e empoderamento social. Por meio de oficinas, eventos e ações, a entidade – integrante do Subcomitê de Bacia Hidrográfica (SCBH) Águas do Gandarela – procura disseminar cuidados de preservação com o Ribeirão da Prata, prioritariamente junto às crianças e jovens do bairro Várzea do Sítio, cortado pelo rio. “Trabalhamos a relação com o ribeirão de uma forma lúdica, buscando sensibilizar essas crianças e jovens e estimular cuidado e pertencimento”, afirma a vice-presidente da ONG, Sarah Alberti de Paula.

A Casa de Gentil desenvolve plantio de mudas, cuidados com a horta, ações de sensibilização em comemoração ao Dia Mundial da Água e várias outras que perpassam a relação com o ribeirão. Com essa pegada lúdica, a entidade criou também o Bloco da Água Boa, com aulas de percussão e ensaios durante todo o ano e apresentação no carnaval. Carregando no próprio nome um objetivo a ser alcançado, o bloco espalha alegria e mensagens de preservação por toda a cidade.

Veja fotos da Casa de Gentil – Culturas e Convívio:

<a href="https://flic.kr/s/aHskSKdFdK" target="_blank">Click to View</a>

No carnaval desse ano, a Casa de Gentil e muitos de seus parceiros e voluntários trouxeram também o tradicional bloco de Belo Horizonte, Pena de Pavão de Krishina, para se apresentar em Morro Vermelho, distrito da vizinha Caeté. A intenção foi justamente prestar uma homenagem às águas e chamar a atenção de todos para os mananciais de Minas. “As crianças também participaram deste momento que foi muito especial”, conta Sarah.

Todas as atividades prestadas pela entidade são realizadas por voluntários que colocam suas habilidades e conhecimentos à disposição. Atualmente, a única doação mensal que a Casa de Gentil recebe vem da Paróquia Nossa Senhora Conceição. Para continuar oferecendo seu fundamental trabalho à comunidade vizinha, a ONG promove eventos e outros projetos pontuais para conseguir renda. “Acredito que a gente vai conseguir fazer muito mais do que já faz, mas para isso precisaríamos de mais recursos”, conta Sarah.

Localização

A UTE Águas do Gandarela localiza-se no Alto Rio das Velhas e é composta pelos municípios de Caeté, Itabirito, Nova Lima, Raposos e Rio Acima. A Unidade possui uma área de 323,66 km2 e sua população chega a quase 29 mil habitantes. Seu principal rio é o Ribeirão do Prata, com extensão de 29,88 Km dentro da área delimitada para a Unidade.

Conheça a região da Serra do Gandarela:

<a href="https://flic.kr/s/aHskUBt6Re" target="_blank">Click to View</a>

Mais informações:

Assessoria de Comunicação CBH Rio das Velhas
comunicacao@cbhvelhas.org.br