Os prefeitos de quatro municípios da região do Alto Rio das Velhas, Nova Lima, Rio Acima, Raposos e Itabirito assinaram na manhã do dia 1º de junho, em Nova Lima, acordo de cooperação para recuperar e preservar as nascentes e áreas de preservação permanente da região.

O convênio entre os municípios foi assinado às 11h no gabinete do prefeito Cássio Magnani, de Nova Lima, por ele e pelos prefeitos Wanderson Flávio de Lima (Rio Acima), Carlos Alberto Azevedo (Raposos) e Alexander Salvador (Itabirito).

Convênio

O convênio prevê implantar a gestão compartilhada da bacia com ações socioambientais para proteção dos afluentes do rio das Velhas. As ações terão abrangência em todo o território de cada um dos municípios e as prefeituras deverão fazer o mapeamento das nascentes, estabelecendo prioridades e cronogramas dos planos de trabalho.

O secretário de Meio Ambiente de Nova Lima, Roberto Messias Franco, explicou que a iniciativa vai proteger pequenos córregos. “Metade da região metropolitana da capital bebe e usa água do Velhas. Vamos começar o trabalho por onde começa a água, nas nascentes”.

Ainda segundo ele, os prefeitos somarão esforços para a revitalização ambiental, cabendo às cidades que têm viveiros florestais, como Nova Lima e Rio Acima, produzir as mudas de espécies nativas para recomposição da mata ciliar e do entorno das nascentes.

“O trabalho começará pela identificação das áreas mais comprometidas e pela conscientização das comunidades do entorno. “A falta de recursos não vai inviabilizar o programa de recuperação das nascentes”, disse o secretário.

Desafios

Para o prefeito de Nova Lima, Cássio Magnani, o acordo foi uma possibilidade única para desenvolver ações em prol da bacia. “È preciso que todos estejamos juntos nas ações de preservação e revitalização das nascentes dos afluentes do rio das Velhas. Nossa região precisa melhorar a qualidade das águas do rio e nada melhor que começar pelo início, trabalhando as nascentes. Queremos para isso contar com a ajuda de toda a população dos municípios envolvidos”, reforçou.

O desafio maior será mudar a postura de cada proprietário de terras, para cuidar com esmero dos olhos d’água existentes em suas propriedades. Nas nascentes mais ameaçadas, enfatiza o secretário de Meio Ambiente de Nova Lima, Roberto Messias Franco.

Comitê apoia

O presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas, Marcos Vinícius Polignano, esteve presente e elogiou a iniciativa para preservação dessa área de produção hídrica, fundamental para o rio das Velhas. “O esforço para a preservação das nascentes vai integrar os municípios na gestão territorial e hídrica numa região crítica para o abastecimento de água”, ressaltou ao revelar que uma das preocupações do Comitê é com a baixa vazão no Alto rio das Velhas. “A iniciativa reforça a necessidade que temos de manter a vazão do rio em patamar seguro. Manter o solo permeável e a vegetação ciliar aumenta a capacidade de absorção de água para manter o rio vivo, pois a água é solo dependente. Essa iniciativa hoje é um ato em favor do rio das Velhas e de todo o Estado”, afirmou.

Objetivos do projeto de cooperação entre os municípios:

Realizar cadastro e mapeamento de nascentes de cada região;
Realizar articulação interinstitucional entre os municípios e outras entidades interessadas em promover a proteção e recuperação de nascentes;
Viabilizar recursos para custeios de matéria e mudas florestais;
Buscar patrocinadores para eventos e apoio para execução das ações do plano;
Buscar e apoiar estudos e projetos para preservação e recuperação de nascentes e
Apoiar a revitalização das áreas de entorno das nascentes.

Mais informações e fotos em alta resolução:
Assessoria de Comunicação CBH Rio das Velhas
comunicacao@cbhvelhas.org.br